Você sabia que nós brasileiros pagamos 35,42% do nosso PIB em impostos. Exatamente, 35% da riqueza que o país gera, vai para os cofres dos governantes, que nem sempre fazem o bom uso desses recursos. Você sabia que em países como Japão e Estados Unidos, esse valor não chega a 20% ? Além da carga tributária do Brasil ser alta, ela é injusta. Pois em geral, 65% dela, é baseada em bens de consumo, quando a média mundial é 35%. E pouco mais de 20% da carga é baseada na renda dos contribuintes. Mas o que isso significa na prática? Se você for um trabalhador que recebe um salário mínimo por mês, está pagando a mesma carga tributária sobre 1Kg de Arroz, que uma pessoa que receba 10 salários mínimos ou mais. E uma pessoa que ganhe um salário mínimo, vai consumir praticamente todo o valor em produtos básicos, enquanto o que ganha 10, possivelmente vai guardar, investir uma boa parte do valor. Segundo estudos, um trabalhador que tenha uma renda bruta de até 02 salários mínimos, tem uma carga tributária que fica em torno de 53,9%, já quem ganha, por exemplo, acima de 30 salários mínimos a carga fica em torno de 29%. Veja só: se você for a um padaria, pedir um café, um bolo e uma água mineral, você vai estar pagando, mais ou menos, 16,52% de imposto no café, 33,95% de imposto no bolo e 37,44% de imposto na água. Você vai pagar essa tributação e não vai nem perceber, pois ela está velada, inclusa na formação de preços dos produtos, dificilmente você vai se dar conta. Apesar da obrigatoriedade de constar nas notas e cupons fiscais a informação aproximada dos tributos que está se pagando, poucos observam, e muitos empresários, tem dificuldades de encontrar esse percentual, devido a complexidade do sistema tributário brasileiro. A tributação no consumo, faz com que proporcionalmente, quem ganhe menos, pague mais impostos... Em países mais desenvolvidos, normalmente a maior carga tributária recai sobre a renda e o patrimônio dos contribuintes, tornando-se uma forma mais justa de arrecadação. No Brasil, temos previsto na constituição federal, a tributação sobre grandes riquezas desde 1988, porém até hoje, esse modalidade de tributação ainda não foi regulamentada. Para o sistema de tributação é muito mais fácil se arrecadar por meio do consumo do que pela renda, afinal, o número de empresas é menor que o número de pessoas, e isso facilita a fiscalização e o controle, por que obviamente, as pessoas precisam das empresas para subsistência e o consequente consumo. O que deve ser feito pelos nossos representantes é uma discussão a respeito de uma forma mais justa de contribuição tributária, baseada de acordo com as capacidades de pagamento individuais, promovendo assim justiça social e tributária. O problema é que estamos com governos, em todas esferas, com caixas rasos ou totalmente quebrados, frutos da má gestão, incompetência, incapacidade administrativa, advindos de gestões e decisões meramente políticas e partidárias, que visaram apenas a perpetuação no poder e a satisfação de seus egos e de seus aliados. É preciso mudar, é preciso ter coragem, por que será doloroso e impopular. Robson Pezzini
0 comments
0 comments