Faixa pertencente ao álbum (Divina Tragédia) Download abaixo... Nossas músicas estão disponíveis em outras plataformas digitais! Spotify: http://abre.ai/aw2Z Deezer: http://abre.ai/ayXk FICHA TÉCNICA: Mensagem: Concernente ao livro Confissões Santo Agostinho. Compositor: QN & Thelfos EDITOR DO VÍDEO: https://bit.ly/1RdGlmW JAKA THUMBMAKER: https://bit.ly/1RdGlmW CONFISSÕES Sempre viveu uma vida retilínea Deus nunca a deu uma cruz que não pudesse carregar Suas lágrimas despencavam enquanto ela via Seu filho caminhar por caminhos que não devia caminhar Renunciar a vida terrena Para ser servo d’Ele se perguntou se vale a pena? Várias mulheres me rodeiam, amigos também Quando eu decidi mudar não me apoie em ninguém Hoje eu me tornei o inverso do eu do passado Aquele mentecapto era apenas um personagem do meu teatro Como todo bom poeta trágico Escrevi uma estória fictícia Todos os personagens terão uma morte trágica Enquanto o autor escamoteia a mensagem da obra em cada linha Em cada verso o meu coração desfibrila Pergunto-me o que é a morte O que é a vida Reanimam-me com artes medicinais Dão-me alguns poucos meses de vida Esquecem que são apenas meros mortais No final seremos julgados pela mesma mão Divina Ser um homem do mundo, ter liberdade De tanto me deixarem livre eu me prendi em minhas próprias grades Eu fui covarde, mãe, perdoe-me pelos meus feitos Não é do feitio, mas não havia outro jeito Mil pecados contabilizados Será que eu me arrependi de todos que eu me pedi perdão? Será que eu já fui sentenciado? Penitencio-me diariamente por cada transgressão Eis aqui, perante o altar de joelhos Sinto a cruz pesar como nunca pesara em meu dorso Olhei para o céu e notei que as portas se fecharam Espero que Ele escute o meu último grito de socorro Há anos estamos de luto pela morte daquele que se recusa a tombar Morri para este plano, está no meu plano não parar Eu não irei cessar Enquanto este império não desmoronar Enquanto este corpo não padecer Enquanto houver algo para conservar Eu me recuso a apenas perecer Thelfos Se errar é humano Eu sou o humano mais errado Olho para mim e reconheço que sou mui falho Eu já caí tanto no mesmo buraco Eu já o cavei mais fundo Lembranças de um passado imundo Presente me embrulha o estômago só de olhar meus passos que me trouxeram até aqui Mas se eu paro pra pensar, foram esses passos que me ensinaram em meio aos meus erros o caminho pra seguir Mas não me distorça mais do que já estou Não quis dizer que o erro é essencial Mas se o tropeço te leva até o chão Você aprende a levantar-se no final Se não aprende hoje, aprende amanhã Tem uma semana inteira para aprender Só não descansa, o tempo passa rápido demais E você não faz ideia de quanto tempo resta para você Quantos perderam a única coisa que tinham? O brilho que mantem a chama da vida viva Ofuscou-se entre as trevas nativas Os olhos fecham, não enxerga uma saída Eu sei bem como é essa situação Já me perdi tanto na mesma direção Já troquei tantas vezes os pés pelas mãos Já afoguei tantas vezes na lama o meu néscio coração Né, não? Parece não ter solução Não parece ser alguém necessário O peso é tanto, que nem dá pra andar descalço A culpa é tanta que só faz pisar em falso Mas se esquece do mais importante fato Apesar de tudo e de todo esse pesar Há dois mil anos atrás o preço já foi pago Por quem prometeu estar, se o convidar pra entrar...
0 comments
0 comments