Se desigualdade salarial existe, o estado é incapaz de resolver o problema. Primeiro porque não existe estado sem agressão, e qualquer agressão é anti-ética. Segundo porque isso só gerará reações do mercado tentando se adaptar, empregando menos mulheres ou dando algum outro jeito de pular por cima da burocracia. Mas como resolver o problema sem estado então? Mudando a cultura. Se existe uma diferença de salários por motivos econômicos e você quer reduzir isso (não que eu queira, mas digamos que você quer) então crie uma cultura que não tolera isso. Se existe uma diferença por preconceito, então eduque as pessoas. E sim, educar é mais difícil que agredir, fazer o que. Por que ética não admite agressão? http://www.culturalibertaria.com/2017/11/a-etica-argumentativa-hoppeana-por.html https://mises.org/library/argumentation-ethics-and-liberty-concise-guide Sobre intervencionismo: https://www.amazon.com.br/Intervencionismo-An%C3%A1lise-Econ%C3%B4mica-Ludwig-Mises/dp/8562816167?tag=goog0ef-20&smid=A1ZZFT5FULY4LN&ascsubtag=63496dc0-448d-4cdc-9175-3f0f286ba8f5 Concurso de artigos! https://youtu.be/i35TMKTP5BY Apoiadores! Instituto Mises Brasil Urbe.me - Investimento imobiliário descomplicado Strobel e Santos - Emigração para Portugal
0 comments
0 comments