Você já precisou de empréstimo em alguma oportunidade? Você achou a taxa de juros ofertada bem atrativa? A prestação coube no seu orçamento? Mas a final de contas. Você soube quanto efetivamente custou esse empréstimo? Qual foi o seu CET? CET é o Custo Efetivo total, ou seja, é a taxa que considera todos os encargos e despesas incidentes nas operações de crédito, contratadas ou ofertadas a pessoas físicas, microempresas ou empresas de pequeno porte. O principal custo da operação de crédito é a taxa de juros. No entanto, quando são acrescidos os tributos, tarifas, seguros, custos relacionados ao registro de contrato e outras despesas cobradas na operação, a taxa real da operação aumenta, formando então o Custo Efetivo Total (CET). Por isso é importante antes da contratação de um empréstimo ou financiamento, comparar os custos totais em diferentes instituições financeiras, pois dependendo no caso, pode-se ter até uma taxa de juros mais baixa, porém, quando se considera todos os custos envolvidos na operação a vantagem deixa de existir. Geralmente em uma operação de crédito podem estar envolvidos custos como: Juros, IOF, Seguro, Tarifas entre outros. Isso tudo compõe o Custo Efetivo total. Para fazer o calculo do CET, o Banco Central Criou essa fórmula: Porém ela é um tanto complexa de ser calculada por não especialistas. Por isso, a instrução do Banco Central é que em toda oferta de crédito, seja obrigatoriamente informado o Custo Efetivo total, para que se possa fazer comparações, veja nesses exemplos: Você percebeu, nas linhas pequenas, quanto representa o custo real e final da operação? Muitas vezes a necessidade eminente de resolver uma determinada situação nos faz batido sobre essas informações. Mas os números são impactantes. Para você empresário, um cálculo importante de ser feito no momento da contratação é quanto será preciso vender para pagar a parcela. Isso é feito da seguinte forma: O valor da parcela, dividido pelo seu percentual médio de margem de contribuição. Margem de contribuição é o valor da sua venda, menos os custos de mercadorias e tributos. Digamos que você tenha de custos de venda, 60%, então você tem uma margem de contribuição de 40%. Se a sua parcela for de R$ 1.000,00 então você tem que fazer vendas de R$ 2.500,00 para que te sobre os R$ 1.000,00 para a parcela. Antes de contratar qualquer operação financeira, verifique os custos efetivos totais. Verifique se a parcela está dentro da sua capacidade de pagamento. Calcule quanto de vendas você terá de fazer para pagar a parcela e principalmente: Descubra quais as reais razões que te levaram e tomar o empréstimo ou financiamento. Se for um financiamento, o bem deve te gerar ativos, caixa, vendas, deve impactar positivamente no seu negócio. Se for uma operação de empréstimo, é sinal que você está com problemas de capital de giro, alguma coisa não está correta, e essa situação deve ser identificada e corrigida, se não vai ser uma rotina cara, de apagar incêndios de tempos em tempos. Robson Pezzini
0 comments
0 comments