*Figura paterna: a importância para a criança* Pai é quem cria. Essa é uma das frases mais antigas, mas sua verdade prevalece até os dias de hoje. Seja o pai de sangue ou não. Seja o pai um padrasto. Seja o pai uma amigo, o vô, um tio. Seja o pai a própria mãe. Mas é pai é quem fica. E a figura paterna é muito importante. O abandono paterno tem números gritantes no mundo todo. Pais de todos os lugares abandonam seus filhos de forma física e emocional. Nisso, muitas mães é quem fazem o papel de mãe e pai na criação. Criam sozinhas os filhos com muita garra, dedicação e amor. É importante destacar que o fazem muito bem. Mas também é importante colocar em pauta a falta que uma figura paterna masculina faz para uma criança. *Figura paterna na infância* Quando o bebê nasce, é o pai a primeira pessoa a mostrar para aquela criança que é possível confiar em mais alguém. A mãe, como tem todo o processo da gestação, já cria uma conexão com o filho. Com a ausência paterna na criação desde pequeno, as emoções e modo de ver a vida são automaticamente afetados. São nas relações primárias que a criança forma toda sua emoção. Ao se deparar ainda com outras crianças e seus pais, o sentimento de abandono se torna presente. Isso pode acarretar disfunções nos comportamentais sociais e distúrbios emocionais lá na frente. Sendo a figura paterna essencial para que se crie um jovem que se sinta acolhido, com autoestima alta e estabilidade emocional. *Consequências do abandono paterno* É pouco provável que a criança saia “ileso” se passou a vida sem uma figura paterna. A falta, mesmo que não falada, é presente nos comportamentos. Poderá não ser algo fácil de perceber, mas as consequências afetam diretamente as relações pessoais, familiares e profissionais. O abandono traz muito a sensação de inadequação e de não ser bom o suficiente. Dentre os principais problemas emocionais associados ao abandono paterno, estão: - ansiedade social; - dificuldades em manter relações com os colegas; - falta de confiança (em si e nos outros); - baixa autoestima; - depressão; - agressividade; - carência emocional; - mau desempenho na escola. Essas consequências podem surgir ainda na infância e se arrastar para a vida toda. *Como proteger a criança?* Há realmente uma forma de proteger o filho das dores que o abandono da figura paterna pode trazer? Não há como arrancar esse sentimento, mas tem como ele ser amenizado. Há formas de guiar a criação para que ele entenda a situação e aprenda a lidar com ela da melhor forma possível. *Não minta para o seu filho* Muitas mães, para protegerem os filhos, acabam mentindo sobre o abandono. Falando que o pai morreu, trabalha longe ou até que não existe. É importante explicar para o seu filho desde sempre o que ocorreu. Obviamente é preciso escolher o jeito e palavras certas para a faixa etária. Faça questão de enfatizar que a criança não era o problema em nenhum momento. Mas sim um problema do pai com ele mesmo. *Faça acompanhamento psicológico* A terapia desde cedo pode ajudar muito para que o trauma da criança seja amenizado. Um profissional pode ajudá-lo a entender a situação e não deixar que ele se culpe. Isso poderá fazer com que se desenvolva sem consequências tão pesadas. *Tenha alguma figura masculina por perto* É importante para a criança, sendo menino ou menina, ter referência de ambos sexos por perto. Então mesmo que ninguém vá ser realmente o pai do seu filho, a presença masculina irá ajudá-lo a levar isso de forma mais leve. Vale para avôs, tios, padrinho, irmão, amigo próximo etc. *Não mime seu filho* Nunca dá certo tentar suprir a figura paterna deixando que o seu filho faça o que quer. Nem compre isso com presentes e coisas materiais. Ele precisa sim, ter muito carinho. Mas também precisa entender que a vida tem limites. *Dê muito amor* A abandono paterno traz o sentimento de carência. Por isso não pense duas vezes em dizer ao seu filho o quanto ele é especial. Diga que todo mundo merecia tê-lo na vida. Abrace, dê beijos e mostre que ele nunca estará sozinho. *Você já passou por isso? Como ajudou seu filho? Conte sua história pra gente!* Com certeza passar pelo abandono do pai não é fácil - nem para a mãe, muito menos para o filho. Por isso, saiba da importância da figura paterna e não tente dizer para sua criança que ela não é importante. Mas sim mostre formas diferentes que ela pode surgir na vida dela. Leia também como o pai pode auxiliar a mulher durante a amamentação: https://hotm.art/como-pai-auxilia
4 comments
4 comments