=Pai de recém-nascido: 4 formas de participar junto com a mamãe= Ser mãe de recém-nascido não é fácil. Ser pai de recém-nascido também não. A ideia de que o pai somente deve ajudar a cuidar deve ser mudada da mente dos homens. Afinal, o filho é dos dois, sendo responsabilidade de ambos prezar pela saúde, cuidados e amor do novo baby. Ajudar é quando o dever não é nosso. Neste caso, o dever também é do papai - tanto quanto. Como é a mãe o laço mais próximo do bebê nos primeiros dias devido à amamentação, muitos pais podem se sentir meio perdidos. Mas saibam que se inserindo nas atividades e dispostos a aprender o que não sabem, esse cenário muda rapidinho. Não espere que a mulher te chame e te cobre estar presente. Com certeza ela estará preocupada com suas novas descobertas e com as noites de sonos desejadas. Por isso, saiba do seu papel e se coloque junto. Além de ser justo com os dois, é nestes primeiros dias/meses que um laço afetivo com o filho é criado. Sendo ainda primordial para os pais, que não tiveram a oportunidade de se conectarem tanto durante a gestação por não sentir e nem ver o bebê. Ao nascer, é a hora de recuperar os 9 meses e se jogar no dia a dia com seu filho. Isso trará ainda mais amor dele por você, e de você por ele. *O pai de recém-nascido contemporâneo* Vivemos em um momento que é preciso reaprender ser pai. O homem pode ficar confuso nesses primeiros dias do bebê, mas saiba que a mãe também estará. Socialmente colocamos a mulher como pronta para todas as situações que acontecerão, como: trocar a fralda, dar banho, saber porque está chorando, fazer dormir etc. Mas esse é um momento de aprendizado para os dois e que deve ser dividido de forma justa. Mesmo que a mãe seja de segunda ou terceira viagem, cada bebê é único e terá novas formas de ensinar os pais a cuidar dele. Então se apronte para participar ativamente de tudo, não apenas “ajudar”. Afinal, a única coisa que o pai não poderá fazer é, de fato, amamentar diretamente. Mas nada impede de participar do momento. *Dicas para o pai participar da criação do bebê* A primeira coisa é: não tenha medo de não saber. O pai de recém-nascido tem todo direito de não saber tudo, mas tem o dever de aprender. Por isso, uma ótima forma de começar a participação é tirando a licença-paternidade. As empresas são obrigadas a oferecer 5 dias livres para você se dedicar exclusivamente ao bebê. *Choro na madrugada* Independentemente de você trabalhar, lembre-se que a mãe do bebê não vai ficar dormindo no dia seguinte. Ela terá que acordar a todo momento para amamentar e estar com o filho, então o sono vem para todos. Por isso, é essencial um esquema de revezamento. Se você trabalha fora durante o dia, tire a noite e madrugada para que você fique por conta de levantar quando o bebê chorar. Só acorde a mãe se for realmente o caso de amamentação. Sempre confira antes se pode ser a fralda, um dengo ou uma coliquinha. Balance, abrace e fique por conta de fazê-lo dormir novamente. Serve para depois da amamentação. Após ele se alimentar, fique você responsável por ajudá-lo a encontrar o sono. *Hora do banho* O banho é uma hora tão mágica, que o “trabalho” deve ser dividido não simplesmente por ser justo, como também por ser uma conexão especial entre pai e filho. Podem se ajudar ou simplesmente revezar: cada vez um dá. *Trocar fraldas* A regra segue a mesma: revezamento. Tudo o que pode ser dividido para não pesar e ser justo para ambos, deve ser feito. *Hora da amamentação* Mesmo que o pai não possa amamentar diretamente, pode acompanhar o momento. Distraindo a mãe ou segurando o bebê para arrotar após a alimentação. *Tarefas domésticas* Se isso já não o é de costume, que comece com a época do bebê recém-nascido e siga para sempre. Tarefas domésticas devem ser divididas, independente de ter bebê ou não. Caso vocês não morem juntos, pense em formas de ajudar na organização da casa deles em suas visitas. Lave uma louça, varra a casa, faça mercado, leve comida etc. Pense que ela estará dia e noite por conta do bebê e pode não restar tempo ou força para isso. Em resumo: prepare-se para aprender a ser pai. E é no dia a dia, participando de tudo o que seu bebê precisa, que isso será feito. Crie seu filho em um mundo mais justo, onde as tarefas de mãe a pai se dividem e não pesa para ninguém. Viva em um mundo de mais conexão, carinho e sensibilidade entre pai e filho. Isso irá contribuir positivamente para o desenvolvimento da criança e ainda criar laços entre vocês. Como é a participação dos pais de recém-nascidos aí na sua casa? Conte nos comentários!
1 comment
1 comment