=Como aliviar a cólica do bebê? 6 dicas para te auxiliar nos cuidados com o seu filho= Seu bebê já mamou, a fralda está sequinha, banho tomado, roupinha confortável e nada dele parar de chorar. O que será? É nesse momento que não há muitas dúvidas de que o pequeno sofre com cólicas. Muito comum nos primeiros meses do recém-nascido, é um momento delicado e de muitos berros. Mas afinal, como aliviar a cólica do bebê? É importante saber que isso pode ser muito comum. Nem todos os bebês têm cólicas, mas alguns costumam ter porque o sistema digestivo de um recém-nascido ainda é imaturo. Ocasionando episódios de desconfortos que podem desesperar tanto a criança quanto os pais. Existem diversas causas e soluções funcionais, tudo vai depender de como seu filho responde as formas de alívio. *Causas * -Não existe uma forma de saber exatamente o causador da cólica. Especialistas apontam algumas possíveis explicações: -O sistema digestivo ainda está se desenvolvendo e causando desconforto; -Refluxo após se alimentar; -Gases; -Alergias alimentares (leite materno ou fórmula); -Exposição à fumaça de cigarros. *Como evitar cólicas no bebê?* O melhor remédio é sempre prevenir, não é mesmo? Por isso antes de te dar dicas de como aliviar a cólica do bebê, vamos expor algumas de como evitar. Alimentar seu bebê a livre demanda, ou seja, sempre que ele tiver fome; Faça o bebê arrotar depois de mamar, segurando-o sobre o ombro e dando leves tapinhas nas costas; Evite que o bebê engula ar durante a mamada. Sentar com coluna reta é a melhor forma. Se ele mama na mamadeira, troque o bico. Pode ser que o bico faça com que o bebê engula mais ar. Tenha sempre contato de pele com pele com seu bebê, principalmente nas primeiras semanas de vida. *6 dicas de como aliviar a cólica do bebê * Agora se mesmo tomando cuidado para evitar, seu bebê está sofrendo com as cólicas, é a hora de saber de métodos que ajudam a aliviar a dor. *Massagem no bebê* Fazer massagem na barriga é sempre uma boa ideia - inclusive para nossas cólicas de adultos. Acaricie a barriga em movimentos circulares no sentido horário. Massageie partindo da base das costelas até a direção do púbis. Junto com isso, com o bebê deitado, dobre os joelhos dele pressionando as coxas até a barriga de forma leve. Depois estique e repita o movimento. Ele ajuda a aliviar a dor e liberar os gases presos. *Se alimente bem* Apesar de não ter pesquisas conclusivas sobre o quanto a comida pode afetar as cólicas, é fato que uma alimentação saudável melhora os sintomas. Reduza o consumo de alimentos industrializados com corantes, conservantes e estabilizantes. *Banho quente* Um banho bem quentinho, com a temperatura da água entre 36ºC e 37ºC pode ser um bom remédio. A temperatura ajuda que o bebê se aproxime da sensação segura do útero e relaxe fazendo a cólica ceder. Nesse momento ainda vale colocar uma música suave baixinho, conversar com seu filho e reduzir a luz, deixando o ambiente ainda mais tranquilizante. *Faça uma compressa* Usar uma bolsa térmica com água morna ou simplesmente passar ferro em uma fralda para colocar na barriguinha pode ajudar. O contato com o calor pode favorecer a vasodilatação, relaxando a musculatura e consequentemente reduzindo o desconforto abdominal. Fique atenta só para a temperatura da compressa, para que não queime o bebê. *Ofereça o peito* O leite materno alimenta, cura e acalma o bebê em diversas situações. O movimento de sucção estimula oralmente seu filho e ameniza as dores da cólica. Só não ofereça o peito em casos do bebê ter acabado de mamar ou estiver recusando, ok? Nesses casos tente outras dicas dos tópicos. *Contato com a pele* Além de levar calma e segurança com o contato pele com pele, essa dica ainda faz com que o bebê expila os gases com mais facilidade. Fique sem camiseta e deixe seu filho também sem roupa, apenas com a fralda. Deixe ele deitado de bruços em cima do seu peito e você verá como aconchego da conexão de peles pode melhorar os desconfortos. A melhor dica é não se desesperar com o choros de cólica do seu bebê. Tente aliviar suas dores conforme as dicas citadas e, se mesmo assim persistir, veja com o médico a possibilidade de inserir remédios para o tratamento. E vocês, como lidaram com a cólica dos seus bebês? Compartilhem suas experiências conosco!
1 comment
1 comment