=Alcoolismo na adolescência: saiba como educar o seu filho e evitar o problema= Você já parou para pensar em como o abuso de álcool na adolescência foi crescendo ao longo dos anos? Antigamente o acesso era mais difícil, a liberdade era menor e a forma de ver o divertimento era outra. Hoje, cada vez mais, um bom “rolê” é quando tem bebidas envolvidos. Por essas e outras questões, o alcoolismo na adolescência tem sido um tema muito preocupante para os pais. É muito raro você ver um jovem alcóolatra. Mas é muito comum, ver o abuso desta substância. Isso porque quando os adolescentes começam a beber muito cedo, há uma grande tendência de desencadear dependência mais tarde, se tornando um vício real. Sem contar que o álcool pode interromper o desenvolvimento do cérebro nos mais novos, levando a outros comportamentos preocupantes. Dirigir embriagado, fazer sexo sem proteção e cometer suicídio são algumas das consequências graves do abuso do álcool nos jovens. Por isso, é de extrema importância que os pais desde cedo conscientizem seus filhos para guiá-los em outros caminhos. Razões do alcoolismo na adolescência Muitos jovens experimentem a primeira gota de álcool com os amigos. A influência dos mesmos pode ser muito grande, e mesmo sem querer, a maioria o faz pela necessidade de aprovação da turma. Aliás, quem não bebe costuma ser excluído e taxado como “careta”. Mas esse é só um cenário, dentre tantos que levam o abuso das bebidas nos adolescentes. Dentre os principais, ainda podemos citar: · Busca por novas sensações; · Sentimento de onipotência característico da juventude; · Problemas dentro de casa ou na escola; · Necessidade de esquecer seus problemas pessoais; · Depressão; · Custo baixo e facilidade na compra de bebidas; · Ausência de limites familiares e sociais. Formas de evitar o alcoolismo na adolescência É claro que está cada vez mais difícil afastar os menores das bebidas alcóolicas. Isto porque a oferta é grande, de fácil acesso e a maioria dos colegas sempre terão uma bebida nas mãos. Mas não é impossível evitar este mal. Dentro de casa, o papel dos pais é fundamental para ao longo da criação criar formas de afastar os seus filhos deste vício. Uma base familiar boa e de muito diálogo é essencial para que o jovem possa ter discernimento na hora de saber o que será prejudicial à sua saúde (mental e física). *Sempre converse com seu filho* Conversar é sempre a melhor opção. Criar regras ou assustar seu filho de que ele será severamente punido se beber, costuma ser a pior forma de evitar o contato com o álcool. É o famoso: “o que é proibido, é melhor”. Por isso, desde cedo converse com seu filho sobre as bebidas. Conte como elas podem ser usadas para o divertimento sim, mas com moderação e na idade certa. Antes dos 18 anos ela é proibida e não deve ser indicada. Exemplifique pessoas que sofreram com o alcoolismo na adolescência, como o álcool pode ser algo realmente ruim quando usado de forma errada e sem maturidade. Fale sobre várias outras formas de se divertir e que a bebida não é necessária para isso. *Acompanhe seu filho de perto* É fato que ter um melhor amigo que bebe, costuma ser um dos maiores fatores de risco para que seu filho beba também. Mas nem pense em proibir amizades, isso terá um efeito contrário e revoltante no jovem. Dê liberdade para que ele traga o amigo sempre em casa. Converse também com os colegas. Se aproxime dos pais deles. Se você conhece e se relaciona de forma amigável com os amigos, a probabilidade dele beber irá diminuir bastante. Além disso, é importante sempre saber onde eles vão e o que terá lá. Crie um laço de confiança com seu filho para que ele sempre seja verdadeiro sobre isso. Se disponibilize para levá-los nas festas e sempre converse com ele sobre como foi no dia seguinte. Não precisa pressionar demais e tirar a liberdade dele, mas agir como uma amiga que gosta de saber irá fazer com que ele sempre compartilhe as coisas com você e ouça seus conselhos de coração aberto. *Incentive práticas saudáveis* Há estudos que revelam que se o jovem tiver atividades extracurriculares, terá menos tempo para querer se imergir no universo da bebida. Práticas saudáveis e responsáveis diminuem a vontade de beber e faz com que eles entendam que a vida possui outras formas de divertimento totalmente sóbrios. Atividades física, dança, música e arte são ótimas formas de ocupar o tempo do seu filho de uma forma super produtiva e benéfica para ele. Por isso sempre incentive essas práticas em casa. *Dê o exemplo em casa* Se o filho tiver um alcóolatra em casa, o risco dele beber também é muito maior. Então se os pais abusam do álcool excessivamente, será como exemplo para que os jovens também o façam. Por isso sempre pense no exemplo que você tem dentro do seu lar. É claro que nem sempre é possível controlar essas coisas, mas você pode escolher como lidar com elas. *Acompanhamento psicológico* Muitos jovens começam a beber porque tem conflitos dentro de si para resolver. Nisso, acabam descontando na bebida e na falsa ilusão de que por algumas horas o problema vai embora. Fazer terapia pode ser uma boa maneira de evitar que ele leve os problemas para o lado errado. Conversar sobre isso pode ajudá-lo a entender formas corretas e positivas de lidar com o que lhe aflige. O alcoolismo na adolescência é preocupante, mas como visto, há formas de direcionar o filho a ser uma pessoa que não procura o álcool para tudo na vida. Com uma boa educação, conversa e exemplo dentro de casa, as chances disso acontecer diminuem. Tem filho que não anda respeitando dentro de casa? Confira o post “Mãe cansada e filho rebelde: saiba o que fazer”.
0 comments
0 comments