Quando eu tinha lá meus seis anos, meus pais insistiram que eu aprendesse a jogar xadrez. Motivo? Simples: aprender a pensar vários passos na frente. Vamos aplicar essa técnica nos EUA atual. O que vemos hoje? Um dilúvio de políticos democratas, e alguns republicanos, querendo taxar os ricos, os super ricos, os ultra ricos, o que for. Cada um deles chega com uma ideia de um imposto de 0,3%, 1%, 2,1% na renda ou patrimônio dos ricos, para gastar com alguma coisa. Creches, repasses para os pobres, energia limpa, o que for. Agora digamos que você é alguém bem rico. E rico honesto, não que ficou ganhando dinheiro do estado. Chuto que muito provavelmente você é alguém com a capacidade de pensar vários movimentos na frente. Faça uma conta. O berro para impostos nos ricos está crescendo. Das picaretagens do Piketty para agora um discurso de campanha ferrenho, e com suporte dos dois lados. Em cima disso os EUA não estão bem das contas e precisarão de mais faturamento de algum lugar. Ainda mais em cima disso, salários estão largamente estagnados, e pessoas que não estão enriquecendo olharão para você como uma fonte de enriquecimento. A conclusão é relativamente lógica: estão pintando um alvo na sua testa. E o que você vai fazer em resposta a isso? Uma possibilidade é militar contra isso. Educar as pessoas economicamente e eticamente, promover libertarianismo, essas belezas todas. Ótimo, mas não dá pra bancar todo o seu futuro nisso. Qual a outra coisa? Começar a diversificar, o que muitas vezes é uma palavra bonita para: fugir. A opção lógica é começar a tirar patrimônio do país e levar para países que não te veem como um bandido ou uma fonte de renda. É investir menos aqui e mais ali. É não criar tantos vínculos novos. Ok, mas e se todo mundo como você fizer isso? A coisa acelera. A retardação econômica aumenta, e a necessidade de ricos como uma fonte de renda emergencial cresce. Ok, então você tem que ser mais rápido que os outros que estão fugindo. Onde isso dá no longo prazo? Estique isso dez, vinte, trinta anos? Uma fuga de cérebros, de capitais, e mais, de exemplos. Mais sobre os exemplos num artigo futuro. Mas o cerne da coisa é: a peça central que faz uma economia funcionar e enriquecer são empreendedores. Os ricos são os melhores dos empreendedores. O que acontece quando eles vão embora? Duas respostas: 1) Pergunte para os grandes empresários brasileiros nos EUA. 2) Olhe o Brasil Acho que deu pra entender.
5 comments
5 comments