Vivemos em um País considerado uma potencia mundial na produção agrícola. Somos o terceiro maior exportador de produtos agrícolas. O Agronegócio representa 21 % do PIB do Brasileiro. Mas será que em matéria de aplicação de gestão financeira em propriedades rurais, estamos com números tão grandiosos? Será que faz sentido profissionalizar os controles financeiros de uma propriedade rural? Já faz um bom tempo que as atividades agrícolas começaram a ser tratadas como um negócio, como uma empresa, um business. Porém, muitos ainda não gerem a sua propriedade rural de tal forma, seja por costumes adquiridos, crenças limitantes, falta de capacitação técnica ou desorganização mesmo. O fato é que nas atividades do Agronegócio existe um fator limitante para o crescimento, para o aumento de receitas e ganhos. O tamanho da propriedade e sua capacidade produtiva. Diante dessa limitação ou se tem capital para aquisição de novas áreas, a disponibilidade de arrendamentos ou aumentar a produtividade e os resultados nas áreas existentes. O aumento de produtividade vem de boas práticas de manejo, boas sementes, adubação, controle de pragas e etc... Nesse sentido o Empresário Rural tem se superado a cada nova safra. Outra forma é medindo e controlando, registrando seus resultados. Diminuindo desperdícios de tempo e de recursos. Se organizando para investimentos. Analisando o passado e projetando o futuro da propriedade. Isso é possível através da organização da gestão da propriedade rural. Da disciplina para a adoção de rotinas e processos de controle. Da definição de objetivos, metas e planos de ação. Todos esses nomes podem soar estranho, causar pânico, intimidar. Mas tudo começa de um simples registro de entradas e saídas de dinheiro da propriedade. Pela guarda organizada de documentos e outros passos simples. Tendo essa organização básica, você poderá definir o seu salário mensal, seu pro-labore. Nem todo dinheiro que a propriedade faz é para gasto pessoal. E o futuro, e os investimentos? E o capital de giro? Estando organizado, você poderá conhecer os resultados reais da sua propriedade, as receitas, despesas e resultados de cada cultivar. Comparar com outras safras, lotes, colheitas. Projetar novas safras. Analisar a viabilidade, ponto de equilíbrio. A evolução patrimonial da propriedade. Muitas vezes o produtor rural diz: Se eu for colocar tudo na ponta do papel eu paro de trabalhar. Então está trabalhando pra que se não dá resultado? Ou pelo menos não sabe o resultado que dá? São inúmeros os benefícios da implantação de um gestão mais profissional na propriedade rural. Você vai administrar com mais eficiência as terras, benfeitorias, maquinários, insumos e mão de obra. Vai aumentar a produtividade, vai ter gestão dos custos de produção, vai criar um ambiente de trabalho mais harmonioso, pois terá objetivos claros, que poderá compartilhar com os envolvidos na propriedade, isso também gera mais qualidade de vida, menos preocupação, mais clareza e mais vontade de ficar e prosperar no campo. Se você é produtor e por hora não tem controles, ou tem controles mínimos, busque ajuda profissional, frequente cursos, pesquise na internet. O principal passo a dar é sair da zona de conforto e dar o primeiro passo. Tenha certeza que se a semente da gestão profissional for implantada, os frutos serão abundantes e virtuosos. Robson Pezzini
0 comments
0 comments