Olá Garota do caderno Amarelo. Bom, sei tanta coisa ao seu respeito, sem ao menos saber algo sobre mim. Pode parecer estranho estar te observando, mas não me julgue, te vejo a um bom tempo passando a minha frente carregada de tantas coisas, com seu pequeno caderno amarelo que carrega tantos segredos. Você me parece algo tão fora do comum, forte a sua maneira, mas devo dizer a verdade, eu te acho extremamente fraca, e não é apenas pelo fato de querer- de estar gritando silenciosamente por- ajuda, te acho fraca por recusar. Mas, posso concordar que até que eu também recusaria, seus problemas de ansiedade estão cada vez mais presente com a possibilidade incerta do futuro, era bem mais fácil quando você apenas precisava passar o dia inteiro estudando; e depois do falecimento de um homem importante, uma figura paterna presente em toda a sua vida sei bem que as noites andam sendo difíceis, dormir pouco, crises constantes de choro, sensações de que em poucos minutos irá morrer. Vejo de longe em seus olhos a vergonha, pois sua tia descobriu seu problema com a comida. Alface brotando do vaso, pena que pelo choque você não consegui dizer "Eu não estou vomitando o que como! Apenas me deu uma queimação e aquela dor novamente", não seria a melhor das desculpas mas ao menos seria alguma coisa. Tenho plena visão de toda a situação, não é algo do qual você se orgulha, e de muitas formas você culpa as dolorosas palavras ouvidas todos os dias durante 7 ou 8 anos, mas por incrível que pareça esquece da sua culpa. Acredito que temos culpa, e que nada foi uma escolha aleatória de alvo. Como já haviam dito "É tudo culpa sua!" quem sabe realmente a sua existência seja inútil. Garota do caderno Amarelo, eu sei que por mais que tente esconder de mim, sei que sente a mesma dor que sinto todos os dias, e que de certa forma, acredita que a dor é o seu castigo. Todos os dias olhos em seus olhos e vejo eles levemente vermelho, sempre algo te faz chorar. Hoje te vi sentada no telhado de sua casa, encarando o chão a alguns metros abaixo, uma altura que causaria uma lesão mediana caso você caísse acidentalmente, mais uma coisa para listar como sua fraqueza. Todos os dias em diversos momentos você para e pensa em diversas formas de morrer, mas nada de fato concreto, afinal você pensa em sua mãe, e em como ela precisa de você.
0 comments
0 comments