A Crise venezuelana chega a patamares abismais com a repressão de Maduro a manifestantes. Não bastasse o desaparecimento de opositores parlamentares e a até a morte de adversários, agora o ditador e seus apoiadores chegaram à repressão escancarada: até blindados são direcionados à população. E como as imagens não deixam mentir, aqueles que não se curvarem poderão ser - literalmente - atropelados. O pior ainda é imaginar que até pouco tempo o governo brasileiro apoiava cegamente Maduro e suas atitudes - como se tudo fosse justificado em prol de um suposto alinhamento discursivo e ideológico. O partido que governava àquela época o Brasil ainda não cedeu. Ainda estão com o ditador, incapazes de reconhecer erros... e de aprender com a história. Por sua vez, a atual gestão, capitaneada por Jair Bolsonaro, pode e deve sofrer muitas críticas, mas, em relação à questão venezuelana, a mudança foi extremamente positiva e - pasmem - democrática. Um governo que não respeita a soberania popular, que tenta coibir a atuação de outros poderes (judiciário e legislativo) e que não dialoga com oposição, não deve ser reconhecido internacionalmente por um país que se pretenda minimamente sério.
0 comments
0 comments