O texto em questão é antigo, mas não deixa fazer sentido ainda nos dias de hoje, afinal os apontamentos e caracterizações ainda são semelhantes. Embora o governo seja outro, o presidente, o partido e os apoiadores também sejam outros, supostamente o adversário ainda é o mesmo e, ao que parece, ele insiste em utilizar os mesmos artifícios já conhecidos. Deixo, abaixo, breve excerto da reportagem cujo link bem em anex: "(...)Eu sei que, ai de mim, talvez eu não passe mesmo de um fascista neoliberal, mas também sou um ser humano. Por isso, me entendam – eu quero ser salvo, doutrinado, catequizado pelo saber histórico dos manifestantes. Peço, por favor, que me ajudem a entender suas teses, para que eu saia das trevas da ignorância. Eu sou um pobre homem alienado, mas quero me atualizar. Por isso, trago algumas perguntas para me livrar dessas dúvidas pequeno-burguesas:" Textão dos bons. Indico a leitura.
0 comments
0 comments