Imagine um macaco sentado tranquilamente, enquanto toma um suco e aprecia imagens bizarras. Enquanto isso, cientistas em uma sala ao lado observam a cena maravilhados. Foi isso que aconteceu em um laboratório de Harvard, como parte dos experimentos para teste do algoritmo XDREAM, um mecanismo de inteligência artificial que permitiu a criação de imagens completamente inusitadas. O conteúdo foi criado para estimular um neurônio que estaria associado a uma região cerebral de reconhecimento de rostos nos macacos. O primata avaliado, chamado Ringo, assim como outros macacos, assistiu a 40 imagens, que foram formadas sozinhas pela tecnologia. Alguns dias depois, nas imagens foram adicionadas Diane, uma das cuidadoras dos macacos. O algoritmo XDREAM agiu novamente nos neurônios visuais dos macacos, mas, segundo Ponce, as imagens causam “cócegas”, fazendo com que humanos fiquem desconfortáveis — para nós, há um estranhamento inevitável.
0 comments
0 comments