A história da Terra é bastante conhecida, mas há um ponto frágil. Quando um asteroide atingiu a costa de Yucatán (que hoje é Chicxulub, no golfo do México) e nesse dia bilhões de seres vivos pereceram, não deveria existir um estrato geológico absolutamente saturado dos restos destes animais e plantas? *E não deveria estar espalhado por todo o mundo?* Esse impacto está muito bem marcado no limite estratigráfico (estratos ou camadas de rochas) do limite K-T (da extinção de todos esses seres) pela presença de irídio, um metal escasso na crosta terrestre porém abundante em meteoritos. No entanto, nunca encontraram fósseis nesse estrato, até então. Robert DePalma, da Universidade de Kansas, publicou em abril deste ano descobertas que fez em Tanis, a 3.000km de Chicxulub, datado exatamente no limite K-T. Os fósseis são de peixes de água doce e água salgada misturados, troncos de árvores, dinossauros, pétalas de flores, equinodermos, pequenos mamíferos, penas… Incluindo mais de uma dúzia de plantas e animais até agora desconhecidos.
0 comments
0 comments