A questão do crescimento econômico brasileiro foi a pauta de um evento no Rio de Janeiro RJ, cujo intuído foi discutir e diagnosticar, a situação na qual se encontra a economia do Brasil, haja vista que os prognósticos divulgados por especialistas como um cenário de recessão e de depressão econômica. Lançar mãos das políticas monetárias ortodoxas expansionistas, redução da taxa selic não é o suficiente para alavancar o setor produtivo nacional, uma vez que segundo eles essa política possui efeito limitado na atual conjuntura brasileira. A inflação persistente, apesar de um relativo nível de capacidade ociosa, foi apontada como um indicador de que precisamos expandir a oferta da economia, o que evidencia a carência de expansão da nossa oferta, investimentos produtivos. A Reforma da Previdência não é a solução, apenas mais uma agenda da nossa democracia, formada por distintos atores sociais, que mais do que nunca tem a oportunidade de mostrar, ou não, ao mundo que o Brasil consolidou -se como uma democracia, orientada por interesses plurais. O que não faltam são ajustes estruturais, que devem ser enfrentados como carência de infraestrutura, os custos de transação elevados e a complexidade fiscal, dentre outras tantas carências.
0 comments
0 comments