Luedji Luna, a cantora com nome de rainha que está crescendo dia após dia! E você? Já ouviu falar de Luedji Luna? A cantora com nome de rainha africana, recentemente surgiu no mercado fonográfico e está prestes a fazer sua primeira turnê internacional. Natural de Salvador, a cantora baiana é formada em direito, função cujo qual foi educada para seguir, Luedji diz que seus pais, também negros e militantes, a criaram para ser uma funcionária pública; diplomata ou juíza. Disse que recebeu educação dos pais foi sempre para ocupar espaços de poder. Porém não foi isso que aconteceu, desde que resolveu tirar suas composições da adolescência de seus antigos diários. Um álbum com uma pegada diferente da usual, Luna investe seus dons musicais no MPB. Disse que seu álbum ficou pronto em dois meses, tudo explodiu quando lançou o clipe "Um corpo no mundo" de forma amadora no YouTube. Mulher, negra, compositora, empresária da própria carreira, Luedji diz ser uma artistas independente. Terminou seu curso de direito aos seus 25 anos, e largou tudo ao sentir um chamado interior. Disse que nunca sentiu sua vida fluir do modo que fluiu, como aconteceu ao entrar para o mundo da música, o que a levou a chegar até onde está atualmente. "A música se impõe. Ela sempre esteve na minha vida, sempre manifestei uma inteligência muito criativa, sempre fui uma criança muito enérgica, sempre cantei afinadamente (risos), mas era uma coisa lúdica, de cantar no banheiro. Estudei direito, quase tranquei, entrei em crise, me formei, mas nunca exerci. Já no curso, comecei a transição. Com o dinheiro do estágio, pagava as aulas de canto, estava só tomando coragem para dizer lá em casa que não ia rolar (risos), que não ia ser nada daquilo." Baiana apaixonada, Luedji fala muito em suas letras sobre amor, e principalmente ser um sinônimo de representatividade da mulher negra ao cantar sobre o tema. "O amor é o clichê dos clichês, mas quero dar a profundidade que ele tem na minha vida, como ele me chega, como não chega, de que modo ele me afeta. Quero falar de amor, de desamor, de solidão, de desejo. A gente não vê muito uma mulher negra falar de desejo. Temos poucos referenciais, até mesmo em uma novela ou propaganda, de uma mulher preta em um casal, de uma mulher preta sendo par ou constituindo uma família. Se for lésbica, então, jamais. O que essa mulher deseja? Como ela ama? Eu escrevo muito sobre isso e agora consegui compilar uma série de canções sobre o tema, mas me custou muito." Aproveitando as oportunidades que a vida dá, a cantora falou que não pretende ficar em São Paulo muito tempo, e muito menos dá certeza de sua carreira na música. Disse seguir o próprio coração, e que se ele pedir para ser mãe, escritora ou dançarina, ela seguirá a própria intuição. Vale a pena escutar o álbum de Luedji, ele tem uma pegada leve, que arrepia, com composição forte e rimas delicadas. Uma mistura de cultura baiana e africana, Luedji tem um grande caminho a trilhar pela frente. Vale a pena escutar! ;)
0 comments
0 comments