=O que é filosofia? (parte 1)= Ciência tão antiga quanto a história da humanidade, a filosofia pode ser complicada de se definir. De fato, nosso primeiro pensamento frente a essa pergunta são de filósofos em um esforço interrogativo, reflexivo e intelectual sobre as origens do homem, de seu ser espiritual, da alma e da existência… Do mais profundo que há até a compreensão como um todo. A filosofia envolve uma ansiedade intrínseca em obter alguma grande resposta da vida. Portanto, podemos pensar em duas definições: 1. Percepções da vida, visões de mundo, sistemas de crenças e ideias de qual será o papel do homem no universo; 2. Reflexão crítica de todas essas problemáticas — quais suas soluções e como foram concebidas. =A palavra “filosofia”= *A palavra e a ciência filosofia nasceram na Grécia: philein e sophía, amor à sabedoria.* O vocábulo era usado pelos gregos como sinônimo de curiosidade, ou querer saber mais sobre as coisas humanas. Essa definição é atribuída a Pitágoras para dar significado à indagação da vida real. Ao ser chamado de “sábio” (sofos) por Leonte, rei dos Ilíacos, ele disse não ser sapiente, mas um amante da sabedoria (filo-sófo). =Amor à sabedoria= *Filosofia é amor à sabedoria e o filósofo é seu amante. * Mas o isso significava, de fato, para os gregos naquela época? Sócrates, em O Banquete (Platão), afirma que o amor é um intermediário entre o imperfeito e o perfeito, carência e plenitude. Mas, dentro dessas intermediações há um desejo do perfeito. Ou seja, o amor é contemplação, desejo de perfeição. No que concerne a sabedoria, os helênicos distinguiam-na em: - Existência vivida, vida como idade ou como trajetória (helíkia) — a sabedoria dos anciões, conhecimento quem vem de experiências de vida; - Referência à realidade, ao conhecimento perfeito (sophía) — um ideal de conhecimento absoluto. Assim, podemos concluir que filosofia é o desejo da inteligência perfeita, do intelecto, do entendimento dos objetos do mundo. Uma espécie de “tarefa do saber”, sendo dever do filósofo indagar-se sobre a realidade, de adquirir a inteligibilidade do real. Por isso, Platão chama os filósofos de “perfeitos amantes”. :: Fonte: Que é filosofia. Luís Washington Vita. ::
0 comments
0 comments