Hoje vou falar sobre um assunto que interessa a grande maioria das empresas, o LUCRO. O lucro, de um modo bem simples, acontece quando o volume de receitas supera o montante de despesas, isso é tranquilo de se afirmar. Mas para quem for realizar uma análise mais criteriosa dos números da empresa, vai notar que existem algumas variações da nominação e de cálculo do lucro. Hoje vou compartilhar contigo, quais as principais variações e o que representa cada uma delas, confere ai. Podemos encontrar basicamente quatro definições de lucro. O lucro bruto, o lucro operacional, o lucro líquido e a margem de contribuição. O lucro bruto, é a primeira medida de lucro que aparece no relatório DRE (Demonstrativo de Resultados). Seu cálculo é feito pelo valor das receitas da empresa (Vendas, Comissões, Serviços e etc...) menos os custos de vendas, ou seja, os custos variáveis. Os custos das vendas, são aqueles que tem relação direta ao que foi vendido, produzido ou gasto na prestação de serviços. Por exemplo: O custo da mercadoria vendida, o custo de produção, o frete sobre as compras, os impostos sobre a venda, as taxas de venda com cartão. Depois, na sequência do DRE é encontrado o lucro operacional, que é representado pelo valor do lucro bruto menos todas as despesas operacionais da empresa, em geral os custos fixos. Lembro que o que é fixo é o tipo de custo, não o valor do custo. Por exemplo o telefone é um custo fixo, porém o seu valor pode variar mensalmente. Os custos fixos geralmente são Salários, encargos, aluguel, água, energia elétrica, contador, sistema, entre outros, conforme a empresa. E por último no relatório DRE vamos encontrar o lucro líquido da empresa, que é o valor do lucro operacional, menos as despesas financeiras e mais as receitas financeiras que houver na empresa. Despesas financeiras são por exemplo, juros pagos a fornecedores, empréstimos, financiamentos, cheque especial, entre outras. E a receita financeira são por exemplo os juros recebidos de aplicações financeiras e de clientes. Outra forme de se medir o lucro, mas que é utilizada de maneira gerencial é calculando a margem de contribuição da empresa ou de um determinado produto. O seu cálculo é feito pelo valor do produto, menos seu custo direto, tributo e despesas variáveis, em geral o resultado desse cálculo representa o que sobra em percentual para cobrir os custos fixos e o lucro da empresa. Ainda podemos encontrar o EBÍTDA que é o resultado da empresa, sem considerar as despesas com juros, impostos e depreciação, esse indicador é muito utilizado por investidores. Observando o lucro bruto, você tem uma noção de quando está sobrando para pagar os custos fixos por exemplo. Já o lucro operacional representa o quando sobre depois de pagar os custos de venda e produção e os custos fixos. E o lucro líquido representa o quanto sobra depois de somados e deduzidos as receitas e despesas financeiras. Por fim, a lucratividade nada mais é do que o valor percentual do seu lucro, frente ao seu faturamento, por exemplo, você fatura R$ 10.000,00 e tem de lucro líquido R$ 800,00 a sua lucratividade é de 8 %. Você tem acompanhando os resultados da sua empresa com frequência? Tem um histórico da evolução desses indicadores? Apurar as diferentes formas de lucro não é nada muito complexo de se fazer ou entender. É só falar com o seu contador. Pratique a boa gestão financeira na sua empresa. Robson Pezzini
0 comments
0 comments