=Museu Mais Doce do Mundo chega em SP= Quando eu era criança, sempre que eu ouvia a história do João e Maria, eu morria de vontade de entrar naquela casa feita de doces (vamos ignorar a parte da história que conta que a casa era de uma bruxa malvada que os captura, etc). Se minha infância tivesse se passado em 2019 e em São Paulo, eu poderia ter realizado esse sonho. Chegou em São Paulo o museu dos doces, que proporciona experiências como nadar em uma piscina de marshmallow ou entrar num donut gigante. O Museu Mais Doce do Mundo é uma exposição que está passando por vários países e que vai permanecer na capital paulista entre 20 junho e 18 agosto. O tema da exposição é Diga Sim à Felicidade! e ela é sensorial, trabalhando com cheiro, tato e gosto. Sim, gosto. A exposição conta com degustações em vários momentos. Além disso, é possível filmar a tirar foto de toda a exposição, sendo que a ideia da organização é, inclusive, fazer da exibição o mais instagramável possível. *PAUSA PARA UM DESABAFO* Agora, eu não sei vocês, mas eu não curto essa vibe de “fazer da exibição o mais instagramável possível”. Sem querer ser a tia chata e ultrapassada do rolê, até porque eu amo meu Instagram e me considero uma pessoa bem conectada com o mundo online. Mas eu tenho OUTRA experiência quando entro em uma exibição que não tem essa pegada. Vocês foram naquela exposição incrível do CCBB da DreamWorks Animation? Cara, eu amei ter ido, mas a exposição estava lotada (ótimo, museu tem que lotar mesmo) e eu fiquei horas na fila. Sabemos: espaço lotado requer uma dose maior de bom senso e filas enormes aumentam a sua expectativa em 500%. Eu não tô exagerando quando digo que do início ao fim da exposição a sensação é que eu estava em uma grande fila pra tirar selfie em CADA ESTAÇÃO expositiva do museu. Ao ponto de que eu estava sem graça de chegar perto do que estava exposto pra de fato ler, observar e mostrar pra minha filha (que é uma bebê de colo) a atração. Eu não queria tirar foto e nem tava com um celular na mão, eu só queria apreciar mesmo, porque é o que eu faço em museus. Mas a simples ação de, quando chegasse na minha vez na fila, parar 30s pra olhar o que tava ali, sem câmera e sem celular, me parecia tão deslocado do todo, tão constrangedor de fazer, que eu simplesmente não o fiz. Quando chegava a minha vez eu só continuava andando, sem parar (já que a parada era pra tirar foto), olhando com agilidade as maquetes, os storyboards ou o que estivesse sendo mostrado e seguia para o próximo item da exposição. Enfim, fico um pouco angustiada com mostras de museu que, infelizmente, acabam virando cenários gigantes para tirar fotos e postar no Instagram e não algo a ser experienciado e vivido de fato. Offline, no caso. Mas ok, vida que segue. *FIM DA PAUSA PARA DESABAFO* A entrada no Museu Mais Doce do Mundo custa R$ 60, meia R$ 33. A instituição vai separar R$ 0,50 de cada ingresso para a Renovatio, instituição que auxilia crianças e adolescentes a enxergar melhor. A expectativa é de beneficiar pelo menos 400 pessoas! A exposição funcionará das 11h às 21h, de terça-feira a domingo. A classificação etária é livre, sendo que menores de 14 anos de idade devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis. Endereço: Rua Colômbia 157, Jardim América, São Paulo Site: www.omuseumaisdocedomundo.com.br
0 comments
0 comments