=Cabeleireira cria curso para ajudar pais a cuidarem dos cabelos cacheados dos filhos = Eu tenho e sempre tive cabelo liso, estilo boi lambeu, sabe? Mas minha filha puxou o pai e veio ao mundo cheia de cachinhos na cabeça. Quando o cabelinho dela começou a enrolar e a formar os primeiros cachos (por volta de 1 mês de idade), eu fui tomada por uma série de perguntas: E agora, como cuidar de cachos? Quais produtos usar? Quais não usar? Como pentear e desembaraçar? Quais penteados posso fazer nela? Como criar uma menina de cabelos cacheados com autoconfiança? Como fazê-la amar os próprios cachinhos e não desejar ter o cabelo liso como o meu, que é tão mais bem aceito pela sociedade? Eu quase tive um colapso de tanto overthinking. Fiz verdadeiras entrevistas com todas as minhas amigas cacheadas. Li muito artigo na internet e vi muito vídeo no Youtube. Apesar de toda a minha tentativa de estudo e entendimento sobre o assunto, sei que esse sempre será um tema de aprendizado diário e contínuo para mim, e principalmente para minha filha. Afinal, o caminho do amor próprio e da aceitação é uma jornada para todos nós seres humanos. Mas principalmente para as mulheres. E mais ainda para aquelas que fogem do padrão por algum motivo (ou por todos eles): negras, cacheadas, acima do peso, etc. Por isso, o meu mantra sempre foi que a beleza é subjetiva e presente em todos nós, com toda a sua plurissignificação. Para os dias em que a gente não consegue a reconhecer diante do espelho, ligar o foda-se é mais do que necessário e saudável. Há coisas mais importantes na vida que a aceitação estética. *Uma ferramenta para nos ajudar* Depois dessa falação toda, vou retomar o assunto inicial: ser mãe de filhos cacheados. A cabeleireira Adriana Ribeiro, diferente de mim, sempre teve cabelos cacheados. Mas sempre alisou o cabelo. Pelo menos até ser mãe de filhos cacheados também. Ciente de que a sua relação com os cachos precisava mudar, Adriana começou a se interessar mais pelo assunto, a se dedicar pelas especificidades desse tipo de cabelo, coisa que nunca fez nem para si mesma. Foi então que a cabeleireira entendeu que, geralmente, o processo de aceitação ou não do próprio cabelo (e de várias outras características físicas) passa de pais para os filhos. Consciente da necessidade de atuar diretamente com as mães, Adriana Ribeiro criou o workshop 'Mães que Curam', da cabeleireira Adriana Ribeiro, para repassar o que aprendeu nessa jornada. Durante os encontros online, os pais aprendem, desde os cuidados que devem ter com os cabelos cacheados dos filhos, até noções de autoaceitação e de como lidar com o preconceito. O workshop é de graça e online. Eu, obviamente, já me inscrevi. Pra quem se interessar também, seguem informações importantes abaixo. Inscrições: https://maes.institutopontochic.com.br/cadastro Mais Informações: suporte@institutopontochic.com.br Contato: (61) 9 8260 - 9854
1 comment
1 comment