O mercado financeiro atento aos fatos domésticos e externos à economia brasileira, encerrou hoje com o aumento do dólar, na ordem de 0,47%, o que em termos práticos significa que houve mais saídas a entradas da divisa estrangeira. A taxa cambial brasileira possui flutuação suja (administrada pelo Banco Central do Brasil que pode lanças mão de Swaps cambiais, por exemplo) mas é regida pelas leis de oferta e demanda, como qualquer outro mercado. No mesmo sentido, se não consequentemente, a Bolsa de Valores (B3) fechou em queda, o que evidencia a retirada de capital aportado na mesma, a partir de operações de venda de ativos. Dentre os fatores domésticos, podemos citar a situação política brasileira e a pauta da Reforma da Previdência como fatos que alimentam o aumento da aversão ao risco por parte dos investidores, dada a situação que genericamente é denominada de insegurança jurídica. No cenário conjuntural internacional, pode-se elencar a guerra comercial em curso entre as potências econômicas, Estados Unidos e China, que podem afetar inclusive o nível da produção mundial. Em síntese, haja coração na atividade especulativa diária do investidor Day Trade.
0 comments
0 comments