O físico italiano Antonino Marcianò lamenta que a ciência se esqueceu de priorizar e dar respostas às grandes perguntas que movem a curiosidade humana. Ele diz: _“É importante dedicar tempo simplesmente ao saber, sem buscar necessariamente um resultado prático.”_ Segundo ele, os fundos de pesquisa, hoje em dia, se dão em excesso a resultados a curto prazo. O conhecimento está industrializado com um ímpeto capitalista. Os físicos do passado como Paul Dirac, Werner Heisenberg ou Albert Einstein provavelmente teriam ficado no anonimato. _“Há de buscar analogias porque o saber é intrínseco.”_ Para exemplificar, ele menciona uma teoria da gravidade quântica (2+1 dimensões), que não pode ser demonstrada com dados, mas funciona bem se aplica a outros âmbitos, como o grafeno. As teorias das variáveis ocultas para a física de nanopartículas pode ser explicava em algumas variações de criptomoedas. E os grafos que são utilizados para estudar a gravidade quântica são a mesma ferramenta que reproduz a rede neuronal humana na inteligência artificial.
0 comments
0 comments