Em uma avaliação internacional e inédita publicada na revista americana PNAS, na terça-feira 11, afirma que cerca de 17% dos animais marinhos (peixes, invertebrados, mamíferos) poderão desaparecer até 2100, se as emissões de CO2 seguirem o ritmo atual. A perda leva em conta apenas os efeitos do clima, sem outros fatores como poluição e pesca predatória. O que causaria um grande impacto na biodiversidade e na segurança alimentar. O consórcio FishMIF (Fisheries and Marine Ecosystem Model Intercomparison Project) é constituído de 35 pesquisados de quatro continentes, que realizaram uma avaliação global dos efeitos do aquecimento global nos recursos pesqueiros. Se as emissões de gases causadores do efeito estufa mantiverem sua trajetória atual, a biomassa global de animais será reduzida em 17% até 2100, em relação à média dos anos 1990-99, apontam os cientistas. A pesquisa alerta: _"Seja qual for a hipótese das emissões, a biomassa global dos animais marinhos vai cair, devido ao aumento da temperatura e ao retrocesso da produção primária.”_
0 comments
0 comments