Se as suas vendas não andam muito boas ou até mesmo se andam boas e você deseja melhorar os resultados, você nunca pensou na exportação como uma forma de ampliar o seu mercado de atuação? Hoje vou compartilhar contigo alguns benefícios que você pode obter ao exportar seus produtos, mesmo sendo uma micro ou pequena empresa, confere ai. O Brasil ocupa a 22º posição mundial em exportações. Os principais produtos exportados são soja, minério de ferro, petróleo, açúcar e carros e os principais destinos são China, Estados Unidos, Argentina, Holanda e Alemanha. Os pequenos negócios representam 40% das empresas brasileiras que exportam. Uma empresa que faz exportação dos seus produtos, tem o dobro de chances de sucesso em comparação com empresas que apenas atuam internamente. Porém, muitos sentem-se inseguros quanto aos trâmites de exportação e detêm-se apenas ao mercado nacional. Mas se você em um produto de qualidade, um preço atrativo e uma boa capacidade de entrega, a exportação deveria ser um caminho lógico. Veja, se você apenas comercializar no Brasil, fica suscetível a crises internas. Exportando, você estará atuando em vários mercados, assim, os efeitos de crises internas, podem ser minimizados, vendendo para outros mercados. Com a exportação o seu volume de vendas aumenta, os seus custos fixos diluem-se mais e consequentemente, sua lucratividade aumenta junto. Você também passará a utilizar um volume maior de matéria-prima, o que pode trazer vantagens na negociação com fornecedores. Para atender as demandas de qualidade, você vai ter que melhorar os processos e isso aumentará também a produtividade. Sendo um exportador, você se destacará junto a concorrência, terá mais visibilidade, pois estará adaptado para atender os padrões estrangeiros. Claro que para o volume de vendas aumentar o produto depende de ficar conhecido no país importador, por isso, também é necessário um trabalho de divulgação e fortalecimento da marca, isso pode ser feito por meio de parceiros comerciais. A participação em feiras internacionais, das quais muitas são realizadas em São Paulo, por exemplo, podem abrir as portas para o comércio exterior. Mas não pode se descartar a participação de feiras em outros países também. Além desses fatores citados, existem as questões tributárias. Para as vendas de exportação, existe a isenção de PIS, COFINS, ICMS, IPI e IOF. O mesmo se aplica para as empresas que são optantes do Simples Nacional, do qual sobre as exportações são excluídos do cálculo todos esses tributos. Isso faz com o que o seu preço fique melhor. Além disso a Receita Federal, permite que as empresas contratem operadores logísticos para que eles façam as operações de exportação, de forma muito simplificada e mantendo os benefícios para a empresa que produz ou comercializa. Os correios possuem o exporta fácil, com uma série de vantagens burocráticas, logísticas e operacionais para micro e pequenas empresas, alcançando cerca de 215 países. Comece a pensar na exportação de seus produtos. Estude sobre os países onde pretende comercializar, verifique as legislações, as questões culturais. Busque uma assessoria especializada, parceiros como o Sebrae, assim você pode montar um planejamento estratégico, que vai apontar todas as correções necessárias para que você esteja apto a decolar além-fronteiras. O que você acha ? Robson Pezzini ,
0 comments
0 comments