Como fica a universalidade em saúde? Se um dos princípios do SUS, assegurado constitucionalmente é a universalidade, ou seja, o acesso à saúde para toda a população em território nacional. O programa maia médicos, criado durante a gestão de Alexandre Padilha (PT) no ministério da saúde, tinha como objetivo levar assistência em saúde para todo o território nacional, incluindo as populações que historicamente não tem acesso ao serviço, como por exemplo as populações indígenas, quilombolas e as cidades muito isoladas das grandes capitais. O fim do mais médicos, como mostra a reportagem, gera um déficit gigante no acesso à saúde da população, que não vê em numa nova política a possibilidade de reaver os serviços que estavam disponíveis nos últimos anos. O retorno do programa e o investimento no mesmo é a garantia de um direito constitucional, e mais do que isso, o acesso à dignidade do povo brasileiro.
0 comments
0 comments