O telescópio espacial TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite — em tradução, Satélite de Rastreio de Trânsito de Exoplanetas), uma equipe internacional do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) da Universidade de Lisboa descobriu cinco estrelas “raras”. O IA comunicou na quarta-feira esta descoberta, publicada na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, que utilizou técnicas asterossísmicas: método que observa as oscilações das superfície de estrelas. As cinco pertencem ao subgrupo Ap de oscilação rápida (roAp). São objetos estelares raros e pertencentes ao subgrupo de estrelas magnéticas. Isto é, possuem campos magnéticos fortes e oscilam com frequências semelhantes ao Sol.
0 comments
0 comments