Pelo visto o desdobramento da guerra comercial declarada pelos Estados Unidos da América EUA à China está apenas começando. Estaríamos em uma novo contexto de guerra em busca de um domínio geopolítico e hegemônico global? Inicialmente os EUA declarou uma sucessão de barreiras alfandegárias e tarifárias à produção chinesa, mas é de conhecimento que a motivação se estabelece na ordem geopolítica. Como de praxe, a economia americana lança mão de seu poder comercial em função de seus interesses estratégicos pelo globo terrestre. Por exemplo, foi anunciado o aumento de tarifas à economia mexicana, visando ações desse país no combate às imigrações ilegais ocorridas em suas fronteiras; em visita ao Reino Unido, foi em busca de parceria com a antiga metrópole (que debate atualmente o BREXIT); sanções comerciais aplicadas ao Irã tem causado conflitos no Estreito de Ormuz, e por ai seguem sucessivos eventos que se iniciam na esfera comercial mas extrapolam-se para os aspectos geopolíticos. As terras raras, o ouro do século XXI, são de fato a arma da China na guerra tecnológica (Guerra do 5G), haja vista que gigante asiático, monopoliza 80%da produção mundial, e ameaça a se negar a exportar para seu rival esses minerais cruciais. Nesse cenário, observamos a polarização dessas potências, seria uma nova Guerra Fria? A grande ironia decorre do Histórico desalinhamento entre o seu discurso e a sua ação, no âmbito comercial. Imaginem, mas é verdade, a economia que preza pela desregulamentação de seus mercados, é protecionista. Muita incoerência.
0 comments
0 comments