Particularmente, não gosto de misturar religião com política. Mas a vida adulta tem dessas coisas: muitas vezes é necessário enfrentarmos aquilo que não gostamos. E, aqui, venho falar brevemente sobre essa questão tendo em vista a "Marcha para Jesus", que ocorreu em São Paulo. Embora eu considere absolutamente legítima a manifestação e não pretenda forçar nenhum político a deixar de ir, não sei se o agente mandatário deveria comparecer e eis os motivos: Primeiro porque o Estado não deve se misturar com religião. Nesse mesmo entendimento, o Governo que faz a gestão do Estado está, obviamente, inserido nisso. Segundo porque a pauta que é religiosa pode perder o foco com a presença de figuras políticas lá. Terceiro porque em regra (pelo menos) essas manifestações religiosas, por mais que discordemos de seus dogmas, pressupõem uma "correção" prática de seus participantes quanto a afazeres do dia-dia embasados na religião "x". Já os políticos têm essa correção? Sei não, hein... Risos. Por fim, penso (e isso talvez seja um preconceito meu) que os políticos em regra querem se aproveitar da aglomeração para "aparecer". Acho isso baixo e sujo. E quanto a este ponto, torço mesmo para que eu esteja errado.
0 comments
0 comments