A Gol alega que vendeu 167 passagens no dia da famigerada promoção de passagens a aproximadamente R$ 3,00 (três reais). Não farei um juízo de valor sobre a veracidade de tal fato, porém a realidade é que no dia anunciado o site ficou eminentemente fora do ar - pelo menos para mim e muitos amigos. Ou algum de meus leitores conseguiu acessar o site? A legislação de proteção ao consumidor brasileira cobra posturas das empresas e fornecedores condizentes com anuncio feito. Nesse sentido, será que o não suporte do site aos acessos não inviabilizaria isso? Ou vocês acham que o Estado não deveria se meter nesse tipo de questão? Deve ser unicamente regida entre particulares?
0 comments
0 comments