*Como o Pole Dance mudou a minha vida (3)* Para ler a primeira parte, sobre como eu aprendi a acreditar em mim mesma, clique aqui: https://www.sparkleapp.com.br/pt-BR/s/146025/como-o-pole-dance-mudou-a-min Para ler a segunda parte, sobre como eu comecei a vencer a minha timidez, clique aqui: https://www.sparkleapp.com.br/pt-BR/s/146119/como-o-pole-dance-mudou-a-min Praticar Pole não é fácil. Por mais que, no começo, a gente aprenda coisas simples e básicas, para a maioria das pessoas são coisas que o corpo nunca fez. E entender as forças, travas de perna e o que fazer com cada músculo pode parecer impossível no começo. Some à isso o fato de você ficar de cabeça pra baixo e, em alguns casos, sentindo dores por estar pendurada apenas por uma perna, por exemplo. Eu sei que, com uma descrição dessas, ninguém tem vontade de experimentar fazer uma aula, né? Mas uma das maiores lições que eu aprendi fazendo pole dance é TER CALMA. Sim, vai doer, vai parecer impossível, você vai ver todo mundo conseguindo menos você. E mesmo assim, você vai ter que criar a maturidade de entender que os corpos são diferentes e que tá tudo bem. E que seu processo para chegar em tal movimento pode ser mais demorado. No seu devido tempo, e com treino (às vezes muito, às vezes um pouco menos), você vai chegar lá. Quando você se encontra numa sala com um monte de gente que faz tudo o que você não consegue com a maior facilidade do mundo, às vezes é muito intimidador continuar tentando. Mas é assim na vida também, né? E temos que aceitar que as coisas vão ser dessa forma às vezes. Realmente, é muito mais legal quando a gente consegue fazer tudo de primeira, né? Mas não adianta ficar brava, desistir de tentar ou fazer de qualquer jeito para falar que conseguiu. É tudo na base do tentar, tentar, tentar, até que seu corpo entenda exatamente o que precisa ser feito. E pode ser que seu corpo não entenda tão cedo. E também faz parte do processo aceitar isso. Não sei nem contar quantas alunas já saíram de aula chorando, ou muito bravas por não terem conseguido fazer o que as colegas conseguiram. Mexe muito com a nossa auto-estima também, né? E demora um pouco pra começar a aceitar essas frustrações. Mas quando a gente aprende a lidar com isso tudo um pouco melhor, a aula fica muito mais prazerosa. Porque você aprende a curtir a evolução, o processo até chegar no objetivo final. E mais do que isso: valoriza as suas conquistas.
0 comments
0 comments