=Poder de mercado: monopólio e monopsônio= Segundo PINDYCK e RUBINFELD (2013) quando em um determinado mercado existe a capacidade de influência sobre a determinação do preço de um bem, tanto do comprador quanto do vendedor, configura-se assim uma situação de poder de mercado. Nesse caso, não há competição perfeita, logo será uma situação de monopólio ou monopsônio, pois _“Em um mercado perfeitamente competitivo, o grande número de vendedores e compradores de uma mercadoria garante que nenhum vendedor ou comprador em particular pode influenciar o preço. As forças de mercado da oferta e da demanda é que o determinam. As empresas, individualmente, baseiam-se no preço de mercado para decidir quanto vão produzir e vender e os consumidores também se baseiam nele para decidir quanto vão adquirir. Monopólio e monopsônio, são os polos opostos da competição perfeita. O monopólio é um mercado no qual existe apenas um vendedor, mas muitos compradores. O monopsônio é exatamente o oposto: um mercado com muitos vendedores, mas apenas um comprador. Os dois conceitos estão estreitamente relacionados. Em geral, em um mercado monopólico, a quantidade será menor e seu preço será maior do que a quantidade e o preço do mercado competitivo” (PINDYC, RUBINFELD; 2013; pág. 351)._ A identificação do poder de mercado nessas duas formas torna-se de suma importância, haja vista que as implicações práticas na vida econômica dos agentes é determinante na conformação tanto da demanda quanto na oferta de bens e serviços, já que existe influência direta dos produtores e consumidores desses bens e serviços, tanto no preço de comercialização quanto na quantidade ofertada. Segundo Pindyc e Rubinfeld, no que tange as relações nesses mercados e suas implicações, _“Poderes de monopólio e de monopsônio são duas formas de poder de mercado: a capacidade — por parte do vendedor ou do comprador — de influir no preço de uma mercadoria. Como os vendedores ou compradores têm pelo menos um pouco de poder de mercado (como na maioria dos mercados do mundo real), é necessário compreender como ele funciona e como influencia produtores e consumidores” (PINDYC, RUBINFELD; 2013; pág. 352)._ A partir dessas considerações, o ponto de partida em todas as análises econômicas deve orientar-se em identificar as características de seus mercados e dos agentes econômicos envolvidos, de modo a garantir mais aderência à realidade econômica (conjuntural) observada, por ora determinada pelas questões micro e macroeconômicas. A economia de mercado, tem o mercado como a sua unidade fundamental, na qual são estabelecidos os fluxos de compra e venda, oferta e demanda. PINDYCK, Robert; RUBINFELD, Daniel. Poder de mercado: monopólio e monopsônio. In: PINDYCK, Robert; RUBINFELD, Daniel. MICROECONOMIA. SÃO PAULO: PEARSON, 2013.
0 comments
0 comments