O voto de Tabata a favor da previdência. Mesmo com toda a campanha de Ciro Gomes e do PDT contrária à reforma da previdência, a deputada Tabata Amaral (PDT), que ficou nacionalmente conhecida por ser uma jovem liderança política, votou a favor da proposta da nova previdência. Vários setores da esquerda ficaram surpresos com posição política de Tabata, que não apenas votou contra o seu partido, mas fez campanha interna e conquistou alguns votos PDTistas contrários à própria legenda. A movimentação de Tabata tem a ver com a nova organização política dos milionários e empresários no país, que agora investem menos nas pautas, votações ou eleições dos candidatos, e mais na construção de lideranças que vão tocar suas pautas. “O que alguns empresários estão fazendo é driblar o sistema. Como não podem financiar campanhas (o Supremo Tribunal Federal proibiu doações de empresas em 2015), financiam indiretamente a criação de líderes políticos”, afirma Fernando Limongi. (https://brasil.elpais.com/brasil/2019/07/07/politica/1562500503_401572.html) Tabata é financiada pela fundação Leeman, vinculada ao empresário Jorge Paulo Leeman, segundo homem mais rico do país, acumulando uma fortuna de U$22,8 milhões. Uma das principais frentes de sua fundação é o investimento na educação e formação de novas lideranças políticas, que vão conseguir influenciar no país a partir de uma base ideológica liberal e conservadora. A previdência que agrada fortemente o mercado financeiro, foi pauta prioritária para os candidatos vinculados às grandes empresas, e Tabata, que se tornou por algum tempo a queridinha de uma esquerda, especialmente a universitária e de classe média, agora começa a se a ver com as contradições de ter que atender ao mercado financeiro. "Quem paga a banda escolhe a música." A deputada continua fazendo malabarismos virtuais para justificar seu voto, defendendo que não foi um voto comprado, e sim ideológico. Essa justificativa irritou mais ainda seus eleitores à esquerda e seus companheiros de partido, já que ideologicamente, tanto o PDT quanto as legendas de esquerda gostariam de propor outras soluções, ou até mesmo uma reforma um pouco menos cruel (como defende Ciro Gomes.). Pra esquerda, Tabata Amaral já virou Tabata "Liberal". Vamos esperar para ver se a candidata consegue se sustentar no PDT e com uma base à esquerda, ou se vai migrar para o partido novo, o qual, aparentemente, ela tem maior acordo político e ideológico.
0 comments
0 comments