Você tem tomado decisões na sua empresa, formulado estratégias, objetivos e metas baseadas em relatórios financeiros e contábeis? Ou você nem tem acesso a essas informações e muito menos tem estratégias traçadas? Saiba que nos dois casos você pode estar cometendo equívocos que podem acabar com a sua empresa.... Não ter dados para tomada de decisões é mortal. Tomar decisões apenas levando em conta os resultados financeiros, também pode não ser uma boa estratégia para a empresa. Esses dados representam o resultado de eventos passados e nem todo o sucesso de uma empesa é consequência exclusiva do bom cuidado com os números. Existem outras variáveis que devem ser observadas e que impactam nos resultados da empresa. Por exemplo: se os relatórios financeiros e contábeis, com base no passado, estiverem apontando uma tendência na redução dos lucros ou de caixa, geralmente uma alternativa imediata tomada pelos gestores para resolver essa situação, pode ser o aumento de preços ou a troca de matérias primas atuais por outras de menor qualidade. Decisão puramente financeira. De fato, isso pode representar um acréscimo nos lucros e um aumento efetivo de caixa a curto prazo, porém, será que essa solução seria sustentável por muito tempo sem que o consumidor perceba essas mudanças, fique insatisfeito e migre para a concorrência? Essa pressão por geração de resultados financeiros positivos imediatos, pode fazer com que a empresa tome decisões apenas financeiras e deixe de investir na procura ou no desenvolvimento de novos produtos, na melhoria dos processos, no treinamento de colaboradores, no investimento em tecnologia da informação, principalmente, em banco de dados e sistemas. O corte ou a redução de custos e gastos, resolve uma situação financeira momentânea. Apaga um incêndio. Mas, o que de fato traz resultados melhores é a identificação e a compreensão de quais são as reais causas, que nem sempre são financeiras, que levaram a empresa a essa situação desfavorável, hoje. Além disso, e principalmente, identificar quais atitudes devem ser tomadas agora para que essa situação não se repita no futuro. E essas atitudes não são apenas baseadas em questões em indicadores econômicos, financeiros e patrimoniais. Geralmente são intangíveis. Em um universo empresarial que muda o tempo todo, onde cada vez mais existem menos limites geográficos para a comercialização, onde a informação se espalha instantaneamente e os produtos são cada vez menos comoditizados. O pensamento estratégico não pode ser baseado em apenas números, finanças e em dados passados. Lembre-se: o sucesso no passado, não garante resultados no futuro. Empresas como a Xerox e a Kodak foram grandes exemplos de sucesso no passado e hoje, onde essas empresas estão? Enquanto o olhar delas permaneceu apenas em resultados financeiros positivos, várias outras empresas - a época pequenas - olharam e investiram em desenvolvimento de novas soluções, produtos e mercados e quando mudança veio, rápida e grandiosa, para essas gigantes, foi mortal. Investir em treinamento, desenvolvimento, pesquisas, viagens, congressos, feiras, na melhoria de processos, consultorias, sistemas entre outros... Não traz um resultado financeiro positivo imediato, pelo contrário, muitas vezes representa uma redução de caixa. Porém, aumenta, as chances de sobrevivência da empresa. Veja: aumenta, mas não garante. Essa falta de tangibilidade e conversão monetária imediata dessas ações, aliada a uma falta de visão estratégica clara, com planejamentos elaborados para 2, 3, 5 anos, com objetivos bem definidos, metas bem distribuídas, faz com que decisões sejam tomadas apenas com o olho no caixa e no lucro e isso não é muito bom. Pense nos clientes, nos colaboradores, na inovação e nos processos. Me diga, como você avalia o futuro do seu negócio? Será que tudo vai estar como estava no ano passado ou da forma como está hoje daqui a 05 anos? Será que apenas uma boa reserva de caixa fará com que o seu negócio se sustente? Pense, pense muito além, pois tudo muda e muito rápido. Robson Pezzini
0 comments
0 comments