Engraçado. O mercado do café está em crise, no mundo, haja vista o excesso de oferta dessa commoditie. Apesar desse excesso do produto, nem produtores (vendem a um preço menor no mercado, pois os preços são dados) nem consumidores se beneficiam (estamos pagando o mesmo valor ou até mais caro, quem se beneficia então?) com faturamentos e preços menores nas prateleiras, respectivamente. O fato curioso, e que requer muita atenção, já que aparenta violar a clássica lei da oferta e da demanda e a dinâmica do mercado perfeitamente competitivo no qual esse produto está inserido. No que tange ao preço de oferta aos consumidores finais, é que a queda do preço do grão pela abundância de oferta não se traduz em uma diminuição da conta paga pelo consumidor e causa sérios problemas aos pequenos agricultores da América Latina. Estão cogitando a possibilidade de se cartelizar o mercado, criando uma organização análoga, em termos de papel, à Organização dos Países Exportadores de Petróleo OPEP, tal fato tem a finalidade de atender qual interesse? Em suma, apesar da trágica situação para alguns atores do mercado, os protagonistas, os demais atores como Starbucks e Nestle, por exemplo, estão lucrando mais com a queda do preço do grão ou, no mínimo, mantendo a sua posição de domínio. Haveria algum eficiência histórica nesse mercado? Só pra relembrar, no Brasil, já queimaram o produto, tendo em vista um controle de sua oferta no mercado internacional, ao temerem uma redução no seu preço.
0 comments
0 comments