Plantinha is the new Pet Só nos Estados Unidos, nos últimos três anos, as vendas de plantas domésticas aumentaram em 50%, passando da marca de 1,7 bilhões de dólares, segundo a National Gardening Association. O mercado que só tinha vivido fenônome parecido nos anos 70, com os hippies e sua busca pela natureza, viu surpresso o crescimento do interesse dos jovens em ter e cuidar de plantas em casa. Uma das hashtags mais populares no Instagram,#plantsofinstagram, tem mais de de 3,3 milhões de publicações. A busca na Etsy – loja virtual inicialmente dedicada ao artesanato – por "plantas vivas" cresce cerca de 80% ao ano. Está surgindo uma nova geração que não só se interessa em ter uma casa cheia de plantas como as trata como seres de estimação. Por trás dos números que impressionam, existem algumas explicações. A primeira delas diz respeito ao fato da Geração Y estar adiando a paternidade. Mas a falta de filhos não tira deles a necessidade humana de cuidar e dar afeto, no espaço íntimo do lar. Outro motivo vem do fato dessa ser também a geração "casa alugada e viagens pelo mundo". Por isso, as plantas domésticas são uma forma prática de substituir aquela visão romântica da casa com jardim. E por último e não menos importante, vem a busca incessante de bem-estar. "As plantas nos tornam mais felizes, mais saudáveis, mais eficientes e impulsionam nossa criatividade." Some a essa razões o fenômeno das redes sociais visuais, como Instagram e Pinterest. Pronto, temos a base perfeita para essa tendência crescer. Na decoração, já existe um nome para o estilo dos espaços dessas pessoas loucas por plantas: urban jungle. Lá vem a boa notícia para quem tem plantinhas em casa: cuidar delas faz muito bem para sua saúde. Além de diversas pesquisas demonstrarem que esse pequeno trabalho rotineiro diminiui os níveis de estresse, pesquisadores australianos também descobriram que ter jardinagem como hobbie pode diminuir em até 36% o risco de demência, condição que tem mais de 2 milhões de novos casos registrados por ano no Brasil. E se você é do tipo que odeia academia, esse assunto aqui só melhora. Um estudo publicado recentemte no British Journal of Sports Medicine aponta que a jardinagem pode ser tão benéfica quanto ir à academia. Partiu floricultura! Fonte: CoolHow Creative Lab
0 comments
0 comments