Isso também é uma questão polêmica, embora o real motivo talvez esteja sendo deturpado. De fato, Bolsonaro está certo: não há vedação jurídica à nomeação de seu filho como embaixador nos Estados Unidos. Nenhuma. E vale ressaltar: ainda que a nomeação se concretize, o presidente não poderá ser acusado de Nepotismo. O que acho super válido de se levantar, e possivelmente até concorde em partes, é a suposta imoralidade em se nomear o filho. Por outro lado, há que se levantar eventuais pontos positivos na nomeação do "03": 1 - Ele conhece Trump pessoalmente e tem uma boa relação com o líder mais poderoso do planeta; 2 - Poderá fazer a ponte de questões comerciais e legislativas entre os dois países, visto seu elevado transito no Executivo e Legislativo brasileiro; 3 - É figura já conhecida no cenário nacional, o que provavelmente facilitará o acompanhamento da população de suas atividades; e, por fim, 4 - Será um filho do presidente a menos atrapalhando o governo com palpites no ouvido de Jair. Risos.
0 comments
0 comments