Primatólogos da USP descobriram ferramentas de até 3 mil anos usadas por macacos-pregos, em escavações recentes da Serra da Capivara, Piauí. Voltando no tempo, em 2014 encontraram ferramentas de até 600 anos. Em 2015, de até 3 mil anos. O inovador desta vez é a variação de tamanho entre elas. Isto é, as mais antigas são menores que as mais recentes: há 3 mil anos, as pedras eram menores, por volta de 100 gramas, usadas para quebrar sementes pequenas; entre 2.500 e até 600 anos, ficaram maiores, semelhante às que os animais usam para processar jatobá ou castanha de caju, atualmente. Tiago Falótico, doutor em Psicologia Experimental (Comportamento Animal) pelo Instituto de Psicologia (IP) da USP e um dos pesquisadores do projeto explica: _“A variação de tamanho das pedras é uma coisa nova para primatas não humanos. Nunca tínhamos identificado no registro arqueológico. Conhecemos isso para humanos, mas agora mostramos que os macacos mudaram a utilização das ferramentas, variando seus tamanhos, ao longo de milhares de anos.”_
0 comments
0 comments