Sugestão de filme - Diversidade no Brasil. O filme escolhido da vez é o Madame Satã retrata a história e vida de João Francisco dos Santos, conhecido como Madame Satã. João se tornou uma figura importante e controversa das noites boêmias da Lapa. Sua trajetória enquanto homem que se relaciona com homens, negro, pobre e viado nos possibilitam uma diversidade de análises de como essas identidades vão sendo construídas, e como os estereótipos e expectativas em torno delas são massacrantes. Uma localização importante é o contexto histórico que se passava a vida de João: década de 30, Rio de Janeiro. Nesse contexto, a construção da masculinidade era marcada pela ocupação dos espaços públicos do trabalho, das noites de lazer e prazer e pela postura agressiva e assertiva, enquanto a feminilidade ocupava o lugar do lar, do recatado e da serventia sexual e doméstica para as famílias; construção que ainda se é verificada nos tempos atuais, mas com resistências significativas por parte das mulheres. Podemos perceber na forma de se expressar de João, é exatamente a demanda social de uma posição masculina hegemônica, que consiga responder à altura às exigências do Outro que o determina através da ideia de uma única e essencial masculinidade. O que podemos propor é compreender essas posições enquanto flutuantes, possibilidades de expressão que vão ser atravessadas sim pelas exigências sócio-culturais, mas que de certa forma também vão emergir de uma singularidade, co-existindo, e resistindo aos semblantes estereotípicos de cada uma dessas identidades. As diversas formas de expressão, como as expressadas por João são realidades que existem desde os homens antigos. A diferença dos últimos séculos para os tempos atuais é justamente o que colhemos de resultado da luta de figuras tão importantes como Madame Satã. Se muitos podem hoje namorar e casar pessoas do mesmo sexo, ter a possibilidade de se adequar ao gênero que se sente mais confortável, tudo isso foi construído, infelizmente sob o sofrimento e o sangue de muitos.
0 comments
0 comments