Violência. Aconteceu no início da última semana a morte do Cacique Emyra Wajãpi, importante liderança política pertencente à tribo Mariry, da etnia Wajãpi, que reside no Amapá. O ataque violento foi realizado com facadas. Políticos sugerem que a morte tenha sido obra de garimpeiros que matam e desabrigam índios há anos no nosso país. A triste notícia da morte de mais uma liderança não é uma eventualidade no país. O Brasil é hoje um dos países que mais mata militantes e dirigentes que defendem os direitos humanos e sociais no mundo. A morte do Emyra coincide ainda com a polêmica liberação da mineração em terras de reservas indígenas, que vão, sem dúvida, gerar maiores conflitos entre grandes empresários e as tribos, produzindo mais mortes e violências regionais. Muita força para a luta do povo indígena, que deveria ter direito à terra e cultura no nosso país.
0 comments
0 comments