=Como reduzir o vício no seu celular?= É muito blackmirror pensar nisso, mas estamos viciados nos nossos celulares. Tá tudo bem admitir, gente, admitir é sempre o primeiro passo. Eu queria entender melhor, inclusive, biologicamente, como isso se dá. O que os celulares têm que fazem com que a gente se vicie TANTO neles? E não venham me dizer que é coisa da nossa geração. Até minha avó é viciadíssima no celular dela. É sério. Recentemente eu resolvi tentar um Detox de 40 dias das minhas redes sociais. Estou há 8 dias sem e contando. Tem sido interessante me observar e perceber quais são os meus impulsos de fuga e como que, mesmo sem os aplicativos de redes sociais estarem lá, no meu celular, como eu ainda checo minhas notificações metodicamente. Chega a ser levemente assustador. Pensando nessa minha jornada por uma vida mais presente e offline, eu quis escrever esse artigo com algumas dicas, para mim e para você, pessoa que julga que não tem mantido um relacionamento saudável com o seu celular. Vamos lá? *Dica 1- Baixe um aplicativo para medir o seu uso* Ok, então, depois de admitir o nosso vício, o próximo passo é entender o quão viciado estamos. Existem vários aplicativos para medir o nosso uso no celular e nos ajudar nessa missão. Eu já baixei o Quality Time, ele é super eficaz. No momento, estou usando o App Usage, porque ele tem mais dados e quero testar uma funcionalidade que acredito que só tenha nele, que é a de te avisar quando você já está há muito tempo em um aplicativo. Sabe? Quando a gente é sugado por um vórtex temporal e fica desperdiçando hooooras fazendo nada no celular? Pois é. Vou deixar outra opção aqui também, a do Action Dash, que te permite configurar sessões de foco para estudo e trabalho, por exemplo. *Dica 2- Defina limites* Gente, vamos encarar a nossa relação com o celular como um relacionamento tóxico. Um relacionamento em que o celular se intromete em todos os seus outros relacionamentos, pedindo a sua atenção o tempo todo, dizendo “eu sou o que há de melhor na sua vida e você não vive sem mim”. Como se vence isso? Estabelecendo limites claros. E esses limites só você pode saber quais são. Por exemplo: quando eu estou na academia, eu deixo meu celular dentro da mochila, no vestiário. Esse é um limite. Eu não quero que o celular esteja presente durante os meus exercícios físicos, esse é um momento só meu. E por aí vai. Tá tudo bem mexer no celular, tá tudo bem gastar umas horinhas de ócio na internet, mas a gente precisa estar conectado e disponível o tempo todo? A gente precisa checar o celular enquanto almoça com uma amiga, enquanto brinca com nosso filho no parquinho? Faça esses questionamentos para si mesmo e encontre as suas próprias respostas. *Dica 3- Desative as suas notificações* Às vezes, a gente não tá nem lembrando que o celular existe. Mas daí: opa! O nosso bolso vibra porque recebemos uma notificação do Ifood, te dando um cupom de desconto. E aí você vê que tem várias outras notificações no seu celular. E você desbloqueia sua tela e responde fulaninha no whatsapp. E vê que alguém curtiu sua foto no Instagram e... AH PRONTO! Você foi sugado pelo vórtex temporal do celular. Então, uma dica superboa é desativar todas as notificações que não sejam de contatos pessoais. Para mudar isso, vá em Configurações > Notificações e desative todos os alertas, à exceção daqueles que virão dos seus contatos, como WhatsApp, Messenger ou SMS. Enfim, quis compartilhar essas 3 dicas principais com vocês e eu espero que elas ajudem em alguma coisa, porque me ajudaram. Saiba que você não está sozinho, junto a você existe uma legião de pessoas viciadas nos seus próprios celulares, doidas para se desconectar também. Vamos um dia de cada vez rumo a uma vida com mais qualidade, desconexão virtual e conexão presente com o que e com quem importa de verdade :)
1 comment
1 comment