A Missão Magnetospheric Multiscale (MMS) detectou, pela primeira vez, o choque interplanetário; evento publicado em estudo na revista Nature na quinta-feira 8. A interações não têm colisões; isto é, são partículas que transferem energia por meio dos campos magnéticos. Uma interação típica de supernovas, buracos negros e estrelas distantes. Inclusive, esses choques sem colisão começam no Sol, que constantemente emite o vento solar, fluxo de partículas feito basicamente de prótons e elétrons. A missão NASA conseguiu medir a colisão dos íons e elétrons em uma frequência de até seis vezes por segundo. As ondas de choque podem passar pela nave espacial em apenas meio segundo. A MMS já anunciou no ano passado que é um processo importante para explicar o destino da energia dos campos magnéticos que envolvem a Terra.
0 comments
0 comments