Assistimos à confirmação de desaceleração da economia global, já prevista pelo Fundo Monetário Internacional FMI desde o início da guerra comercial, em 2018, travada entre as maiores economias do mundo Estados Unidos da América EUA e China (a desaceleração da produção industrial chinesa, o menor ritmo em mais de 17 anos). Nesse cenário, o nível do comércio internacional tende a reduzir-se, haja vista as implicações tanto na oferta quanto na demanda dos bens e serviços. Segue em curso, inclusive, a alteração da conformação geopolítica até então vigente. A divulgação dos dados, ingleses e alemães, ao apontarem o cenário recessivo das maiores economias da Europa já assombram os investidores pelas praças financeiras do mercado financeiro, que a partir de uma situação de aversão ao risco, que seguem em busca da proteção de seus ativos, dada a onda de incerteza generalizada, em todos os mercados. Em suma, o fluxo de capital, principalmente o especulativo, irá determinar as altas e baixas nas bolsas de valores, e consequentemente, dado o aporte ou fuga de capital, o aumento (valorização cambial) ou a redução (desvalorização cambial) das divisas estrangeiras.
2 comments
2 comments