Agora sim os robôs não precisam mais de humanos para absolutamente nada. Essa ideia do robô que se conserta sozinho custou APENAS 3 milhões de euros. O dinheiro foi concedido pela Comissão Europeia, e a ideia é criar uma tecnologia robótica capaz de detectar danos e tomar as medidas necessárias para se "curar" sem a necessidade de interação humana. As pesquisas têm foco nos robôs "soft" ("macios" ou "moles", em português), pois, justamente por essa característica, são os dispositivos que mais sofrem danos. Mãos robóticas macias, feitas através de impressão 3D, são capazes de manipular objetos frágeis com destreza e são mais seguros em ambientes como fábricas e fazendas, por exemplo. Os cientistas também disseram que esperam projetar alguns tipos de polímeros que se classifiquem como “materiais antropomórficos, capazes de sentir dor”. Até agora, os testes sugerem que o reparo pode levar entre apenas um segundo a uma semana, dependendo da extensão e localização do dano.
0 comments
0 comments