Bons reflexos advindos do governo Temer, encerrado em 31 de dezembro do ano passado, 2018. Não sou nenhum fã do ex-presidente (antes que briguem comigo), mas boas medidas devem ser lembradas. A nova carteira de identidade, além de mais segura e moderna, é também mais completa e livra o cidadão brasileiro de carregar documentos esparsos para uma finalidade específica. Como FHC, Lula e Dilma tiveram alguns (poucos) acertos, Temer também. E, embora não goste dele, aproveito a oportunidade para parabenizá-lo por uma delas. Trecho de reportagem anexa: "A nova carteira de identidade contém mais informações, como registros do título de eleitor, numeração da carteira de trabalho e previdência social, certificado militar, carteira nacional de habilitação, documento de identidade profissional, carteira nacional de saúde e números de NIS/PIS/PASEP. Também poderá ser incluído o nome social sem a necessidade de alteração no registro civil. Outra novidade é que poderão constar, no novo RG, indicativos para portadores de necessidades especiais e códigos referentes ao Código Internacional de Doenças (CID)."
0 comments
0 comments