=As galáxias= As galáxias são enormes conjuntos de estrelas, gases, poeira, planetas e outros constituintes, tudo isso reunido pela gravidade. São estruturas dinâmicas em constante transformação. No século XVIII, o filósofo alemão Immanuel Kant usava a expressão UNIVERSOS ILHA para designar os muitos objetos de aspecto nebuloso no céu. Já no início do s. XX, o debate entre os cientistas era intenso! Até que os telescópios evoluíram e do mesmo modo as concepções de galáxia. Os astrônomos conseguiram registrar imagens que nem toda a filosofia poderia conceber. A classificação mais conhecida para as galáxias levam em conta sua forma, e foi criada por Edwin Powell Hubble (1899 - 1953) no início do século passado. Em linhas gerais, ele as reuniu em grandes grupos de acordo com seus formatos e subdivisões: elípticas, espirais e irregulares. Pensando em uma imagem de uma galáxia em espiral típica (aquela que imaginamos ao pensar na Via Láctea): - O bojo é a região em torno do núcleo da galáxia, e concentra grande quantidade de matéria e energia; - No plano médio da galáxia, nos braços da espiral e no bojo, prevalecem as regiões de formação de estrelas e estrelas jovens; - No halo, nesse volume esférico, estão as estrelas mais velhas reunidas, que chamamos de aglomerados globulares, como os seus formatos indicam. A nossa galáxia, a Via Láctea, que é uma espiral barrada. tem exemplos interessantes de aglomerados desse tipo, como o M13 na Constelação de Hércules, e o Ômega Centauri na Constelação de Centauro. Os aglomerados abertos são mais comuns nos braços e no plano médio da nossa galáxia. Os destaques são o M6 e o M7 na Constelação de Escorpião, que é a caixinha de jóias que fica pertinho do Cruzeiro do Sul. O núcleo da Via Láctea é visível para nós na Constelação de Sagitário, que é uma região de grande atividade, com um buraco negro supermassivo e outros menores, além de algumas fontes de alta energia. Essas constatações reforçam a ideia de que muitas galáxias podem ter buracos negros em seus núcleos. A Via Láctea, a de Andrômeda e cerca de mais 30 outras formam o grupo local de galáxias, que faz parte de um grande aglomerado dessas. Segundo os cosmólogos, o universo conta com grandes estruturas desse tipo: galáxias com grande atividade em seus núcleos, outras mais brilhantes em frequências que não enxergamos e colisões espetaculares com resultados que desafiam as simulações dos nossos computadores. *Fonte: ABC da Astronomia*
0 comments
0 comments