="Por qué no te callas?"= O presidente Jair Bolsonaro foi eleito por um conjunto de forças políticas que se mobilizaram em torno dele por motivos diversos. Alguns votaram em Bolsonaro por seu discurso conservador e anti-petista. Outros votaram em Bolsoraro apesar de Bolsonaro, ou seja, parte significativa dos eleitores votou em um projeto que se apresentava, não só como um contraponto ao lulopetismo, desgastado por escadalos de corrupção e pelo caos econômico do governo Dilma, mas como a um governo que defendia reformas importantes para o país, como a Reforma da Previdência, a Reforma Tributária, a ampliação das Liberdades Econômicas, por exemplo. Essa perspectiva reformistas, em áreas tão sensíveis para este momento da história do país animou parte do eleitorado e animou também os investidores, nacionais e internacionais. Entretanto, e apesar do governo de fato ter encaminhado bem vários desses movimentos reformistas, com o apoio do Congresso Nacional, como a fundamental Reforma da Previdência (mesmo que não seja a melhor das reformas, mas é alguma reforma, aguardada há pelo menos 20 anos), a MP da Liberdade Econômica e o encaminhamento da Reforma Tributária, o maior obstáculo parece ser o próprio presidente da República. Bolsonaro e os bolsonarinhos (01, 02 e 03) estiveram e estão permanentemente gerando desgaste para o governo com as mais diversas instituições, nacionais e internacionais. Nenhuma das crises que aconteceram de janeiro para cá diexou de estar ligada direta ou indiretamente aos Bolsonaros. O maior problema, com isso, é que as expectativas dos investidores sofreu significativo abalo, como se vê nos últimos dias com a alta do dólar, com a busca por ativos mais estáveis, diante da perspectiva que o governo não vá conseguir dar sequência, com agilidade, às reformas que todos esperam. Perde o governo, perde o país. Neste momento, talvez caibe uma pergunta que virou meme na internet, anos atrás: Bolsonaro, "por què no te callas?"
0 comments
0 comments