O Produto Interno Bruto PIB brasileiro cresceu 0,4% no segundo trimestre em relação aos três primeiros meses deste ano, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE. É válido ressaltar que na atual conjuntura internacional, o Brasil assume destaque, haja vista que diante de grandes economias mundiais, como Alemanha e Inglaterra que já se encontram em flerte com a recessão técnica, o resultado nacional pode ser o ponto de inflexão para a alavancagem do nível de atividade econômica nacional, já que a retomada efetiva e consistente depende de sucesso das políticas econômicas implementadas. Tal fato sucede uma agenda nacional de reformas, como a trabalhista (2017), previdenciária (em andamento) e tributária (andamento). O resultado em questão, foi puxado, principalmente, pelos ganhos do setor industrial (0,70 %) e dos serviços (0,30 %). Já a agropecuária caiu 0,40%. A despeito do setor externo, as exportações registraram desempenho negativo, o que reflete o panorama externo de guerra comercial (EUA e China) e do Brexit, na Europa. O crescimento na indústria foi influenciado pela expansão das indústrias de transformação (2%) e construção (1,9%). Já as extrativas recuaram (-3.8%) no período. Em valores correntes, o PIB no segundo trimestre totalizou 1,78 trilhão de reais.
0 comments
0 comments