Conforme o desenvolvimento de jogos cresce no cenário global, eventualmente a ideia de que “nada se cria, tudo se copia”, se torna cada vez mais um atrativo para que as empresas tenham um conteúdo de fácil acesso e que possa ser utilizado para gerar um lucro imenso sem ter todo o trabalho de criação de conteúdo. Parece simples copiar um material, modificar um pouco (nem sempre) e vender como algo inovador. Acontece que justamente por isso estar se tornando algo tão comum, grandes empresas estão ficando de olho nas infrações de copyright e descendo o sarrafo em pequenas empresas que tentam essa artimanha. A Blizzard Entertainment está processando várias empresas e indivíduos envolvidos na criação do jogo móvel e gratuito para PC, Glorious Saga. O desenvolvedor de Overwatch alega que o jogo é uma "violação maciça" de sua propriedade intelectual Warcraft, afirmando que "eles criaram um jogo cujo conteúdo é quase totalmente copiado dos jogos Warcraft e produtos relacionados". A Polygon relata que a Blizzard está buscando uma ordem judicial para interromper a infração e os danos máximos pelo "dano grave e irreparável à Blizzard e seus negócios. "Os réus não copiaram apenas alguns elementos discretos dos jogos Warcraft da Blizzard", afirma a empresa no processo. "Todos os personagens do jogo infrator foram copiados de um personagem dos jogos Warcraft, e muitos até ostentam os nomes de personagens populares dos jogos Warcraft, como Jaina Proudmoore, Gul'dan e Malfurion." A Blizzard está buscando "US $ 150.000 por trabalho violado". "Todos os monstros, criaturas, animais e veículos no Jogo da Infração foram copiados dos Jogos de Warcraft. Armas, amuletos e outros objetos foram retirados diretamente dos jogos de Warcraft, sem pretensão. Dicas de áudio e efeitos sonoros dos jogos de Warcraft foram reproduzidos para o jogo infrator ". O processo alega que os réus "lucraram enormemente" com a Glorious Saga e sua suposta violação de direitos autorais. Até o ícone móvel do jogo recria a capa da expansão Battle of Azeroth, de World of Warcraft, mostrando um humano e um orc que travam os olhos enquanto rosnam um para o outro. A Blizzard alega que o uso de material Warcraft foi "voluntário e intencional". Cinco empresas e duas pessoas são nomeadas na ação, incluindo a desenvolvedora Glorious Saga InstantFuns e a Sina Games - uma subsidiária da empresa chinesa de software e tecnologia Sina Corp. A Blizzard alega que este também não é um incidente isolado para o desenvolvedor, pois alega que a empresa também anuncia vários jogos para celular não licenciados, usando os nomes e personagens de IP conhecido, como Yu-Gi Oh !, Naruto e Pokemon. A Glorious Saga é apenas "uma das mais recentes" a fazê-lo. Aqui se faz, aqui se paga. Agora a empresa deve enfrentar um número absurdo de processos, vamos vendo como estes se desenvolvem ao longo do tempo.
0 comments
0 comments