"Os números da PNAD-C do trimestre encerrado em julho, divulgados hoje, conversam com o resultado do PIB do segundo trimestre divulgado ontem: a lenta retomada segue seu curso, e o cenário deve continuar melhorando de forma muito gradativa se novos choques poderosos não a descarrilarem a economia brasileira novamente. Os principais candidatos a isso são o cenário externo, que se tornou bem mais adverso nas últimas semanas, e o ímpeto incontrolável do presidente Jair Bolsonaro de alimentar as tensões sociais, políticas e internacionais subjacentes ao momento atual do País. Até agora, a ameaça do cenário externo tem parecido a mais perigosa, em termos das reações do mercado. Na PNAD-C, a população ocupada (PO) continuou a crescer num bom ritmo, bem acima do PIB, tendo aumentado em 2,2 milhões de pessoas, ou 2,4%, em relação ao mesmo trimestre de 2018. Foi ligeiramente abaixo, entretanto, do que o aumento na mesma base de comparação do trimestre anterior, abril, maio e junho: 2,5 milhões de pessoas, ou alta de 2,6%. De qualquer forma, a PO cresce a um ritmo bem superior ao do PIB, que está rodando a uma taxa anual de cerca de 1%. E isso remete ao aspecto menos animador da PNAD-C de maio, junho e julho: continua a tendência do crescimento do emprego se dar principalmente na economia informal, que tem piores postos de trabalho."
0 comments
0 comments